Archive for julho \31\UTC 2008

Lenzi Brothers hoje em Porto Alegre

julho 31, 2008

 

Então, como anunicado no post anterior, nesta noite os Lenzi Brothers dividem o palco com o Cachorro Grande numa festa fechada da MTV na cidade de Porto Alegre. Segundo Marzio Lenzi, por telefone, o show será por volta das 22 horas no pub Abbey Road, na capital gaúcha. Os guris estão na estrada e chegando lá já vão se ajeitarem pro róque. Bom, se você é leitor do Mundo47 em Porto Alegre, tente dar uma passadinha lá no Abbey Road, vai que rola uma entrada free.

Mundo47 deseja boa sorte pros Brothers em seu show.

Anúncios

LENZI BROTHERS É ESCOLHIDA PARA SHOW COM CACHORRO GRANDE!

julho 30, 2008

Extra, extra, extra!!!

3º disco “Trio” deu uma nova cara para o som dos irmãos catarinenses

A banda Lenzi Brothers, de Balneário Camboriú é a banda escolhida pela banda Cachorro Grande para o show em Porto Alegre que deverá acontecer nesta quinta-feira, 31, em Porto Alegre. A notícia foi passada agora há pouco – 17h20 – pelo baterista Matheus Lenzi.

Desde a semana passada, a Cachorro Grande e a produção da MTV de São Paulo, viajam por diversas cidades do sul do Brasil, onde o róque anda aflorando com novas e excelentes bandas. O programa tem o nome de Cachorro Grande em Busca da Fama, onde as bandas selecionadas que participaram do programa, receberam em suas cidades, casas, estúdios, a produção do programa da MTV e claro, a presença da Cachorro Grande que durante esses dias, conheceu e interagiu com as novas caras do rock do Sul do Brasil.

Na quinta-feira passada, a produção passou por Balneário Camboriú, onde se reúniu com a banda Lenzi Brothers no isolado, aconchegante e moderno estúdio Giant Steps, para um bate papo regado a cervejada, músicas próprias dos Lenzi e claro, no final todos os integrantes das duas bandas fizeram uma imensa Jam.

A escolha dos Lenzi é uma vitória para o róque dos 47 (e 49, pois os Lenzi são nascidos em Lages e fizeram carreira em BC) e também do rock autoral em Santa Catarina. Para o guitarrista Marzio Lenzi, a participação no programa e agora a escolha, abrirá muitas portas para a Lenzi Brothers, que está na luta pelo róque catarinense há 11 anos.

Mundo47 também parabeniza os Lenzi Brothers pela escolha! Foi uma vitória importante rapazes, vamos à luta!

Para as bandas que não foram escolhidas, saibam que a não escolha não representa uma derrota. O programa vai mostrá-las para todo o país e para algumas, a experiência também poderá trazer bons ventos. O negócio é não desistir e continuar a fazer o que melhor fazem: rock and roll

Elvis retorna para a Terra em Blumenau

julho 30, 2008

Elvis retorna para a Terra em grande estilo. Depois de 31 anos no planeta Plunct Plact Zoom, o Rei do Rock retorna para um show em Blumenau, nesta sexta-feira, 1º de agosto, no Teatro Carlos Gomes. O show Elvis – Las Vegas Concert, traz para Santa Catarina o músico cover do Elvis, Adam Presley. A turnê é promovida pelo fã clube oficial do Elvis em São Paulo e Adam viaja pelo país encarnando o rei do rock junto com a banda Elvisback Big Band. Em Blumenau, exclusivamente, Marcos, guitarrista dos Faichecleres, fará uma participação no show de Adam.

Serviço:

Local: Teatro Carlos Gomes
Rua: Rua XV de Novembro, 1181 – Blumenau/SC
Data: 1/8 – Sexta
Início: 20:00

Ingressos Antecipados:
No Teatro Carlos Gomes

R$40,00 – No dia
R$25,00 – Antecipados
R$20,00 – Meia Entrada

Abertura: Sofia Batuta

Clube do Assinante do Jornal de Santa Catarina
tem 50% de desconto

Maiores informações:
contatobarbaruiva@gmail.com

Tschumistock 2008: inscrições para bandas até 15/08

julho 30, 2008

Marcelo Mancha e sua Euthanásia em novembro de 1999 -foto Weiss

Ainda falando em Rio do Sul, a galera do Mamado´s divulga que as bandas interessadas em participar do Tschumistock 2008 – 14a Edição – podem enviar seu material para a produção do festival, um dos mais tradicionais festivais de Santa Catarina.

Vale lembrar que você deve enviar seu material com músicas próprias até o dia 15 de agosto. O Tschumistock acontecerá entre os dias 14 e 16 de novembro no Sítio do Tschumi, em Rio do Sul, no Alto Vale catarinense.  Serão selecionadas 25 bandas e as bandas que já mandaram material nos anos anteriores e querem concorrer com o mesmo,  é só manifestarem sua intenção pelo costeletas@gmail.com

Anote o endereço:

Rua Carlos Gomes, 12 – Centro
Rio do Sul – SC
CEP: 89-160-000
 

Visite o site oficial:
www.tschumistock.com.br

Porão do Duque: novo point róque de Rio do Sul

julho 30, 2008

Da minha cidade natal tenho propriedade ao falar que durante muito tempo, os lugares onde rolavam rock nasciam e morriam cedo.  Como bem lembrou o Rafael Tschumi na sua coluna online Fermata, a juventude não se revolta mais, não há praticamente mais lugares pro róque em Rio do Sul. Mas graças a mentes sensíveis e corajosas, andam transformando o velho porão do Clube Duque de Caxias, um dos mais antigos e tradicionais da cidade, em ponto para o underground vigorar. E é o que anda acontecendo lá nos últimos meses. Um lugar ideal. Pelo que me lembro bem, o Porão do Duque era um lugar tipo salão velho de baile, um sub salão embaixo do salão principal, onde rolava festinhas menores do clube, onde rolava se não me engano uma pista de bolão nervosa onde tiozinhos e tiazinhas passavam as tardes jogando boliche de alemão.

Eis que há festa no Porão do Duque neste final de semana. Só dar um confere no cartaz.

Grandes atrações com Song Boock (Rio do Sul) e Daian Schmitt e Os Comparsas do Rock (Blumenau). Mais uma vez a discotecagem em vinil nas mãos de Palilo e os ingressos: R$ 7 pros mano e R$ 5 pras mina.

Lenzi Brothers lança “Trio” em Joinville

julho 30, 2008

foto de lenzibrothers em 29/07/08

Chegou a vez de Joinville ver Lenzi Brothers de pertinho. Nesta sexta-feira, dia 01 de agosto, a gurizada estará em Joinville para o lançamento do disco Trio. A fextênha rolará no Liverpool Snoocker Pub, no Centro. Quem fará as honras da casa será a excelente banda Os Depira, já clássicos na cena róque de Joinville, esta por sinal, a maior cidade de Santa Catarina que nos últimos dois anos tem revelado bandas de alto calibre. Enfim, uma fextênha que não dá para perder.

Mundo47 errou na matéria do Cassim

julho 30, 2008

Galera. Um cochilo eletrônico deixou passar batido o meu erro sobre os Faixa-Preta, banda que acompanha Rodrigo Daca e Cassim em seus projetos musicais. Os Faixa-Preta não é uma banda de apoio destes músicos e para isso Eduardo Xuxu dá o devido puxão de orelha neste jornaleiro e arruma a cagada. Dá um confere no plá de Xuxu.

Opa! Falo em nome dos Faixa-preta!  Não tocaremos com mais ninguém. Cassiano e Daca nos tomam muito tempo e dedicação, em vista de não sermos simplesmente uma banda de apoio – participamos ativamente arranjando e também compondo com eles! -, além de também termos nossos próprios projetos. Um abs!

Recado dado e espaço aberto, foi mal Faixa-Preta

Clube da Luta invade Balneário Camboriú

julho 29, 2008

Da Caverna: Rossa clicou o momento “free dick” dos manos

Finalmente rolou a parceria Clube da Luta e Balneário Camboriú. Os clubeiros aportam no Open Bar no próximo dia 15 de agosto e quem recepciona os lutadores é a banda Lenzi Brothers, de Balneário. De oficiais do Clube, Aerocirco e Da Caverna. Noite quente de wrock no Open Bar.

Homenageando a Praia do Pinho, natureba´s beach de BC, o Da Caverna virá com seus modelitos “nada por cima do nada”.

Participação da Rock Picture Show na MTV

julho 29, 2008

foto de rockpictureshow em 29/07/08

Faltou a imagem da Rock Picture Show participando do programa da MTV Cachorro Grande em Busca da Fama. Na foto, o vocalista Nei e o baterista Tschesco sendo enquadrados no programa dos meninos do Cachorro Grande (nem tão meninos assim). O programa deve ir pro ar em novembro apenas.

Ainda sobre o Cachorro Grande e o programa da MTV, segundo o Marquinhos Espíndola, a banda Os Ambervisions foi sondada para participar do programa e a produção recebeu um sonoro não da banda de Floripa. Segundo Marquinhos, os Ambervisions consideraram que não querem tal mídia e estão bem aonde estão.

Minha opinião: Eles perderam, a MTV perdeu e o Brasil perdeu a grande chance de revelar Guilherme Zimmer – o vocalista performático dos Ambervisions –  para todo o país numa rede de canal fechado jovem.  Zimmer seria um interessante substituto para o fraquíssimo João Gordo. Zimmer tem mais personalidade, stile, sex appel, canta melhor que o gordo e tem o Harvest do Neil Young em fita de rolo, um must.  Já o Amexa poderia virar locutor dos programas do Zimmer na MTV e também das vinhetas do Dia das Bruxas.

Os Berbigão lançam disco em agosto

julho 29, 2008

Mais uma banda que fazia um trabalho basicamente de covers se renda ao material 100% autoral. A excelente banda de rock and roll, Os Berbigão, estão com o disco prontinho e em agosto vai rolar show de lançamento na Célula, em Florianópolis. Confira o “plá” enviado pela assessoria de imprensa dos caras.


 

O CD já está pronto e a festa programada. A banda Os Berbigão, de Florianópolis, lança o seu segundo álbum no dia 15 de agosto, na Célula, que fica em frente ao viaduto de acesso ao bairro João Paulo. Após nove anos na estrada, dividindo-se entre covers e músicas próprias, agora a banda investe exclusivamente em seu trabalho autoral, que já ganhou espaço nos bares da cidade e, o sucesso que vem alcançando, resulta em um CD muito bem elaborado.

Influenciados pelo folk rock de Neiil Young e Tom Petty e pelos climas etéreos de Wilco e Flamming Lips, sem deixar de lado as influências dos Rolling Stones e Beatles, essa nova fase da banda revela canções que surpreendem pela singularidade e ao mesmo tempo “unidade”, com letras com as quais todos se
identificam e melodias que surpreendem o público a cada apresentação.

Os ingressos para o show de lançamento do CD “Vento” podem ser adquiridos a R$ 10,00 (com direito a um CD) na loja Guitarland, na Rua Tenente Silveira, número 111, loja 06, subsolo do Centro Comercial Parthenon.

Os Berbigão: Luciano Postal, voz e guitarra; Daniel Bez, baixo; Marcelo Peixoto, na bateria; Roberto Bez, teclado.  

O que: show de lançamento cd d’Os Berbigão
Quando: 15 de agosto – sexta-feira, às 23h
Onde: Célula – Rodovia João Paulo, em frente ao viaduto
Quanto: R$ 10,00 com vale cd antecipado na Guitarland
Informações: (48) 3024-0066

Nú com a mão na guitarra

julho 29, 2008

Eu não estive lá, mas segundo informações do Marquinhos Espíndola em seu Blog do Marquinhos e do site Eh Rock, a última sexta-feira foi quente no Clube da Luta, lá na Célula em Floripa. Tão quente que os irmãos do Da Caverna resolveram tirar a roupa e tocar suas canções rock and roll como vieram ao mundo: totalmente nus. A foto acima, no site Eh Rock ,  tirada pelo méeestre Antonio Rossa, é a prova que os irmãos deixaram a platéia impressionada com a “atitude” dos naked brothers.

Se a moda pega…

Etílicos & Sedentos disponibiliza nova faixa no Myspace

julho 29, 2008

Direto de Brusque, a rapaziada da Etílicos e Sedentos coloca nova faixa – “Eucalípto” – no seu endereço do Myspace. Passa lá e dá um confere no material da rapaziada da terra das camisetas.

www.myspace.com/etilicosesedentos

Batata Blues Band with Eddie Campbell

julho 28, 2008

Leonardo Dignart, o Batata da banda Souvenirs, atacando de músico de apoio para o bluesman norte-americano Eddie C. Campbell no último fim de semana. O blues man tocou em Florianópolis, Balneário Camboriú e Blumenau, levando os fãs do Blues à loucura. Confira o mestre e o discípulo das 4 cordas.

Cassim: quase um catarina

julho 28, 2008

foto-cassim-b.jpg

 

 

 

 

 

 

Cassiano Fagundes, um dos líderes da lendária e ativa banda The Bad Folks, de Curitiba, vive desde 2007 em Florianópolis. Isolado dos demais folks, Cassim não se fez de rogado e em pouco tempo na “ilha da magia” o cara gravou um excelente EP que está disponível pelo selo Midsummer Madness e de quebra arrumou parceiros da região 48 para acompanhá-lo nas futuras incursões  rockand roll. O chamado “Golpe Musical do Ano”.

O material do EP é muito bacana. Segundo o press release do cara a parada na visão dele tem traços de soul, do krautrock de bandas alemãs do anos 1970, Flaming Lips e noise pop do começo dos anos 90. O fato é que Cassim vem com um material impressionante e que em nada lembra de sua outra e famosa banda, a Bad Folks (dona de um dos melhores shows que vi no Underground Rock Bar).

Em Florianópolis ele conheceu e começou a andar com gente como Eduardo Xuxu, (ex-Pipodélica), Leonardo Kothe (ex-Pipodélica) e o baterista Márcio RS (tocanumontedebandaaomesmotempo), esse trio responsável atualmente para acompanhar o front man pop de SC, mister Rodrigo Daca. Com os Faixa Preta, banda de apoio de Daca que pelo visto vai ser banda de apoio de outras figuras, Cassim estará em breve na estrada para shows.

Mordida agora é um trio

julho 28, 2008

foto de banda_mordida em 22/07/08

O pau comeu solto e no final de junho a excelente banda paranaense, Mordida, perdeu dois integrantes. O baixista e o produtor Timbó vazaram, pois rolaram desentedimentos com os demais músicos e agora a banda conta com Paulo Nadal, Ivan Rodrigues e Alvaro Antonio. Mesmo com o desfalque, a banda segue firme e já apresenta fotos de divulgação mostrando apenas os que restaram na banda. Shows estão confirmados e acontecendo normalmente. Resta saber mesmo o mistério que assombrou a saída dos integrantes…

Los Hermanos lançam CD e DVD em agosto

julho 28, 2008

DVD traz o registro das últimas apresentações no Rio de Janeiro

Raspando o tacho de músicas, o Los Hermanos traz para o seu fiel público, áudio e vídeo das suas duas últimas apresentações no Rio de Janeiro, em 2007.  Los Hermanos na Fundição Progresso – 09 de Junho de 2007 será lançado nos formatos CD e DVD e é o primeiro lançamento do grupo desde 4 (2005). O lançamento estará nas lojas a partir do dia 29 de agosto.  Enquanto isso, Marcelo Camelo está preparando sua turnê de lançamento do disco solo, onde virá acompanhado da excelente banda Hurtmold. Rodrigo Amarante também prepara seu disco solo com o Stroke Fabrizio Moretti, que em breve estará nas ruas. O baterista Rodrigo Barba anda tocando com o pessoal do Canastra e quem estiver precisando de um excelente batera. Bruno Medina, o pianista do Los Hermanos, é músico da banda da Adriana Calcanhoto e para o Globo.com o hermano mantém um blog “Instante Posterior”.

Parachamas e Maltines também receberam o Cachorro Grande

julho 28, 2008

Mais um registro fotográfico da passagem do programa Cachorro Grande em Busca da Fama, da MTV, com o encontro com as bandas Parachamas (Blumenau) e Maltines (Floripa). Ambas tiveram um encontro mais reservado para a gravação do programa. Em Blumenau os Parachamas receberam o Cachorro Grande em casa e em Floripa, Maltines recebeu a produção num estúdio da capital.

Parachamas e Cachorro Grande

Maltines e Cachorro Grande

You Tube: Stones e Dylan no Brasil em 1998

julho 28, 2008

Esse sim foi um show histórico no Brasil. Bob Dylan e The Rolling Stones em 1998 num memorável show, onde Dylan subiu ao palco para tocar Like a Rolling Stone junto com os Stones. Memorável, magnífico e repeteco mesmo só no You Tube – “A melhor televisão do mundo”.

Ah, esse show passou ao vivo na Globo naquele ano.

2º Rock nos Bairros em Blumenau

julho 25, 2008

Se você é um 47 legítimo e é ainda de Blumenau, não pode perder a 2º edição do Rock nos Bairros. Desta vez o rock come solto no bairro da Velha, na Rua dos Caçadores – Associação de Moradores da Rua dos Caçadores. Entraga gratuita e o início da pauleira será às 15 horas. Confira o band list da tarde.

Bandas/Horário:
15 h – Falling Apart
16 h – Mahalo
17 h – Enfermitos
18 h – Ninguenzada
19 h – Bipolar
20 h – #4 ( Susten Four )

Pipodélica em vinil

julho 25, 2008

Segundo Marquinhos Espíndola em seu Blog do Marquinhos, a falecida, extinta, padecida banda Pipodélica, de Florianópolis, estará lançando seu último, derradeiro, fechamentocomchavedeouro disco, Não Esperem Por Nós, no formato vinil. A Pisices Records está se encarregando das encomendas das bolachas e também das bolachinhas metálicas. Maravilha, peça de colecionador e eu já quero entrar na fila para ter uma belezinha dessas, viu seu Xuxu?

Cachorro Grande sai impressionado com os 47

julho 25, 2008

Jam session, integração, bate papo regado a Original com os Lenzi Bros.

Foi um dia importante para o rock 47. Ontem a banda Cachorro Grande e a produção da MTV esteve em Balneário Camboriú para conhecer o som e os integrantes das bandas Lenzi Brothers e Rock Picture Show que participam das gravações do programa “Cachorro Grande em Busca da Fama”, um reallity show que deverá eleger uma banda para participar de um show televisionado pela emissora paulista. Percorrendo diversas cidades do Sul, a “Cachorrada” vibra e conhece um pouco das bandas sulistas.

Os primeiros visitados em Balneário Camboriú foram os Lenzi Brothers. A Cachorro Grande chegou empolgada e com sede no Estúdio Giant Steps, no bairro da Barra. No portão o powertrio de irmãos Lenzi já esperavam pela produção e pela banda. Abraços, cumprimentos, conversas e uma cervejinha para animar o ambiente enquanto a produção do programa montava os equipamentos. Aliás, câmeras ligadas sempre, já que se trata de um show real. Já no estúdio, confortávelmente instalados, os integrantes da Cachorro Grande aguardavam os últimos ajustes de câmera ao som dos Lenzi Brothers mandando uma versão fodida de Santana. Já na gravação, Marzio, Matheus e Buca soltaram o braço nas músicas do último e terceiro disco, TRIO. “Alana”, provável música de trabalho e com clipe saindo do forno em breve, foi a primeira. A cachorrada ficou louca, adoraram o som dos Lenzi e suas influências claras de Neil Young, Canned Heat, Eric Clapton e outros grandes nomes. A banda ainda mandou música nova e também a excelente “Flutuar”, deixando os malucos do Cachorro Grande embasbacados com a intimista apresentação.

Depois da gravação, ainda rolou uma jam entre os músicos com os músicos se intercalando nos instrumentos. Para isso, mais uma guitarrinha foi plugada e o blues rock comeu solto, finalizando com uma imensa jam, cervejas e empolgações diversas. Na despedida a tradicional troca de presentes, CDs, camisetas e aquele até logo. Enquanto esperavam o horário para a gravação com a Rock Picture Show, próximo do hotel onde estavam hospedados, a Cachorro Grande e o Mundo47 participaram de um excelente match de Kart Indoor, na Barra Sul. Tirando Beto Bruno, que preferiu ficar observando tomando geladas, o resto da patota, eu e dois profissionais do indoor, realizamos um match de corrida, onde Mundo47 deixou a turma comendo poeira e ficando em 3º lugar.

Mais tarde, por volta das 8h30 rumamos ao edifício Panorama, no Centro da cidade onde a Cachorro Grande foi recebida gloriosamente pelo Nei (vocalista) e Tschesco (batera) da Rock Picture Show. A gravação rolou no terraço do edifício localizado na beira mar, no 16º andar o rock comeu solto. O terraço grande, tinha presença de ilustres da cena indie rock de Balneário, mas o pau comeu mesmo dentro da pequena sala de ensaios da Rock Picture Show que mandou ver nas suas melhores canções. Do lado de fora da sala, nas janelas da salinha, a cachorrada admirava e se deliciava com o punk vibrante e psicodélico da turma. Cerca de quatro canções foram gravadas pela produção da MTV e a cachorrada interagia com a pequena e seleta platéia ao mesmo tempo que admirava o som da piazada. No final os comentários gerais foram bons e para a maioria da Cachorro Grande, neste projeto da MTV, os encontros mais íntimos como os que ocorreram com Lenzi Brothers e Rock Picture Show, foram mais produtivos do que shows realizados pelas demais bandas nas datas anteriores. Em Curitiba por exemplo, a banda Dissonantes marcou um show com uma foto do Cachorro Grande no cartaz, muita gente foi pensando que era um show do Cachorro Grande, mas a grande verdade, segundo Beto Bruno, a banda está de boa e analisando cada banda visitada. “Preferimos conversar com a banda numa ambiente mais íntimo, apesar de gostarmos para caramba de uma festinha com cervejas e afins”, disse Beto.

Em Blumenau o encontro foi com os Parachamas

foto de parachamas em 24/07/08

Rock no apartamento: Cachorro Grande observando os Parachamas

Na quarta-feira a banda Parachamas, de Blumenau, recebeu em sua própria casa a produção da MTV e o Cachorro Grande. Segundo a própria Cachorro, foi um excelente encontro: “Bah, os caras nos receberam dentro da casa deles em Blumenau, foi muito bom”, disse o guitarrista Marcelo Gross. Em Blumenau, quase todos os Parachamas moram embaixo do mesmo teto, onde também realizam os ensaios. 

Por e-mail, Alexandre M., vocalista dos Parachamas, disse que a noite foi “animal” – “Por mais que eu escreva um monte!!! não vou conseguir dizer o que sinto cara”, vibrou o rapaz.  Alexandre diz que pelo que pareceu, a Cachorrada gostou pra caramba do som ska rock dos Parachamas e o homem diz ainda que até as produtoras da MTV acharam a banda extremamente gente boa.  Bom, em conversa com os próprios em Balneário Camboriú, a sinalização da parada em Blumenau foi excelente. Marcelo Gross fez questão de enaltecer a qualidade sonora das bandas que já visitaram e puxou louros importantes para o trabalho dos Parachamas. “Gostamos do som da piazada”, revelou para o Mundo47.

Hoje em Floripa e sábado em Chapecó

foto de aerocirco em 23/07/08

A caravana Cachorro Grande em Busca da Fama na MTV, segue nesta sexta-feira para um conversê com a banda Maltines, no final da tarde e mais a noite num show com a banda Aerocirco, em Florianópolis. No Sábado a caravana segue para a cansativa, porém bela viagem até Chapecó, onde assistirão a noite ao show com as bandas Repolho e Epopéia, escolhidas no Oeste para participar do programa. No domingo a caravana vai para o Rio Grande do Sul.

Créditos das fotos Lenzi Brothers nessa matéria: www.estudionago.com

Allright, Allright! Cuba Drinker and The Hi-Fi´s

julho 25, 2008

 

Lima, Najuí, Sofiati e Diógenes: allright!!!

Esta semana o Mundo47 está meio na marcha lenta, mas quando algumas coisas caem do céu, não dá para ficar pensando muito. Há tempos eu já precisava de material assim, mas eis que Mr. Najuí, o Cuba Drinker, me manda um e-mail com essas fotos históricas dessa lendária banda catarienense da primeira metade desta década.

Cuba Drinker and The Hi-Fi´s é o Mundo47 History Channel de hoje. Especial e sortido.

Show no lendário Underground Rock Bar

Para situar o leitor mais desavisado sobre a história da cena independente de Santa Catarina, Cuba Drinker and The Hi-Fi´s rolou entre 2000 e 2004. Era um projeto de Najuí Estrádulas, de Blumenau que reuniu três figuras de outras bandas para acompanhá-lo na interpretação de suas próprias músicas. Na guitarra Alexandre Lima da banda Minds Away, no baixo a presença de Diógenes Fischer, dos Pistoleiros e Superbug e na bateria, Junior Sofiati, guitarrista da Enzime. Najuí era vocalista e guitarrista do combo.

Segundo Najuí, o Cuba Drinker & the Hi-Fi´s  é lembrado por ser uma das primeiras bandas assumidas de rock´n´roll na cena independente/alternativa da região.  Influenciados por rock/blues/country de raiz e artistas obscuros de todas as épocas, o Cuba mostrou personalidade própria e marcante numa época inundada com as “guitar bands e música alternativa”.
Girls, girls, girls e allright!
Em 2004 a banda findou e hoje está muito difícil de reunir os membros originais, pois Junior está morando na Espanha e Alexandre Lima está morando em Portugal, nos Açores, apenas o próprio Cuba Drinker e Diógenes estão na área, mas mesmo em respeito aos demais integrantes, a banda talvez não colocou nenhum substituto. O CDHF fez história no circuito independente onde fez apresentações antológicas no velho Underground Rock Bar, no Curupira Rock Club e também no Tschumistock. Em 2001 a banda esteve em Goiânia, no Bananada, festival da Monstro Discos. O CDHF não deixou muitas gravações profissionais, apesar de ter um repertório praticamente de músicas próprias. Pelo selo Low Tech rolou a gravação de duas músicas para coletâneas e também um Live At Underground Rock Bar, gravado com um microfone pendurado em cima do palco ligado a um gravador de fita k7. A gravação virou um CD que poucos tem (eu sou um).
Esperamos em breve que Najuí faça um rapa na sua casa e disponibilize estes trabalhos na web para a galera se deliciar.

Da Caverna estréia nova canção no Clube da Luta nesta sexta

julho 25, 2008


 

 

 

E o Clube da Luta continua recheado de surpresas. Semana passada foi o lançamento do clipe da canção “Falta de Ar”, da Kratera. Nesta semana, Tijuquera traz convidados especiais e Da Caverna lança nova canção.  “Descalço e sem meia” é o nome da música que fará parte do próximo disco da banda – que já está em fase de pré-produção.  Mais um daqueles rocks Da Caverna para arrancar risadas e, quem sabe, algumas boas lembranças.

O show vai ser temático e único. Vai perder?

Clube da Luta 25/06/2008
Da Caverna + Tijuquera + John Bala Jones
R$ 5 até as 23h. R$ 10 após as 23h.
Local: Célula – www.sitedacelula.com.br

Summercase 2008: O festival indie dos espanhóis

julho 23, 2008

Jr. ficou até de boca aberta ao curtir o Summercase no meio da galera

 

Como prometido, o texto do Júnior Sofiati, fiel escudeiro do rock catarina que habita na Espanha, mais precisamente em Madrid. Ele esteve no Summercase 2008 e conta pra gente um pouco de como foi o festival e os principais shows.

18/07 – Dia 1:

 

Dia abrasador na capital espanhola, ou seja, daqueles dias que só pensas em estar numa piscina ou metido dentro de algum lugar com ar-condicionado, mas este já não era meu caso. Me dirijo à Boadilla del Monte, cidade localizada ao sudoeste da região metropolitana de Madrid, onde por terceira vez consecutiva é realizado o Summercase Festival.

 

Tudo ia às mil maravilhas pelo caminho, até chegar na nova linha de metrô que vai de Madrid à Boadilla, coisa que ano passado quando fui ao mesmo festival não havía, só ônibus. Sério, aquele metrô parecia que tirava sarro das pessoas que estavam dentro quase morrendo sufocadas, de tão devagar que ia em certas partes do trajeto. Depois de finalmente baixar e ter esse atraso inesperado, chego em frente à entrada pouco antes das 21hs e já havía perdido The Breeders, porque começaram às 20:15, uma pena, mas de certeza que voltarão ano que vem para Madrid.

 

Entro e já de cara me dirijo ao palco onde estavam tocando The Stranglers, acabavam de começar a primeira música. Aliás, nota 10 para a organização pela pontualidade dos shows, não vi banda nenhuma atrasar mais de 5 minutos. E a tal primeira música era nada mais nada menos que “Skin Deep”, e logo de depois, sem nem darem tempo para piscar os olhos, começam “Peaches”. O show inteiro uma música atrás da outra, como um bombardeio. Foram realmente incríveis, até mais do que esperava. Os pontos altos para mim foram: Duchees, Something Better Change, Walk on By, No More Heroes, Strange Little Girl, Always the Sun e Golden Brown. Posso dizer que dos shows que vi de bandas que estão voltando, esse foi um dos melhores, realmente voltei no tempo, e exatamente aos anos 80. Geralmente muita gente discrimina e fala mal das bandas velhas que voltam, o que acho ridículo. Porque se pensas, quando na minha vida poderia ter visto uma banda como Stranglers? Então penso, melhor ver eles velhos, e talvez com a banda incompleta do que não ver-los nunca.

 

Depois de viajar pelos anos 80, fui para o palco onde já estavam tocando algum tempinho os Kings of Leon. Os dois shows “mais ou menos” coincidiram nos horários, Stranglers começou as 21hs, e Kings of Leon as 21:35. Como Stranglers é uma banda mais velha, e com menos chance de voltarem à Madrid, preferi ver o show inteiro e perder o começo do Kings of Leon, já que são uma banda mais nova e com muito mais chances de voltarem logo.

Cheguei pouco antes da metade do show, eram palcos meio distantes um do outro, e além de serem muitas pessoas circulando, sempre entre um show e outro entra aquela vontade de molhar a garganta. Já pego de cara eles tocando Fans, do último disco Because of the Times, que dos 3 discos é o que menos gosto, mas mesmo assim não deixa de ser um puta disco. Logo tocam uma mais baladinha, chamada Arizona, e depois para levantar um pouco os ânimos, detonam Camaro, ambas também do Because of the Times. Parece que cheguei na “parte do último disco”. Saindo um pouco do terceiro disco, tocam King of the Rodeo e Slow Night, So Long, ambas do segundo disco Aha Shake Heartbreak. Não sei se foi impressão minha, mas parece que os caras dividem a sequência de músicas por disco, quase sempre tocavam duas ou três seguidas do mesmo disco. Meu disco favorito deles, disparado, é o primeiro, e já fiquei feliz só de ouvir Red Morning Light, Wasted Time, Joe´s Head e Molly´s Chambers. Resumindo, um show perfeito onde muitas vezes parecia que o disco dos caras estava rolando ali mesmo, de tão bem tocado. O único defeito do show foi a presença de palco, realmente faltou um pouco, mas não fez perder o encanto do show.

 

Acabando o Kings of Leon, outra vez troca de palco, fui dar uma olhada no show do CSS, banda que pessoalmente não sou muito fã, gosto de 2 ou 3 músicas e nada mais. Não porque considero a banda ruim, pelo contrário, considero uma boa banda, mas realmente não é o meu tipo de música. Mas como nesse caso o meu gosto não contava muito, por terem outras pessoas comigo que queriam muito ver, fui dar uma conferida. E tenho que reconhecer que a banda merece o seu respeito. É só ver resposta do público em “cada” música durante o show, acredito que todas as pessoas com um mínimo de bom senso concordariam comigo. São realmente “adorados” na Europa, sem dúvida alguma. Cheguei quando tocavam Off the Hook, a melhor deles na minha opinião.

 

Logo depois de ver pouco mais de meia hora do show do CSS, fui me aproximando do palco onde tocariam os Sex Pistols. Entram os “old punks” e de primeira detonam Pretty Vacant, e nessa hora o Summercase veio quase abaixo. O cômico foi a presença em massa dos punks espanhóis. Quando digo punk, não me refiro às pessoas que somente curtem a música (eu por exemplo “amo” a música punk, mas não sou nem nunca fui um deles), e sim punks com moicanos e roupas rasgadas, muitos deles com certeza “punks de boutique”, porque hoje em dia é mais moda que outra coisa. Bom, e os velhos punks continuam o set list com: Problems, Bodies, Liar, No Feelings, Steppin´Stone, Holidays In The Sun, EMI, Submission, No Feelings, God Save the Queen e fecharam com Anarchy in the UK, ou seja, tocaram o Nevermind the Bollocks quase inteiro. Tocaram outras mais que agora não me lembro, mas o que fiquei triste foi por não tocarem Silly Thing, uma das minhas favoritas. Sem dúvida outro grande show que pode ser considerado entre os melhores de todo o festival. O que me impressionou foi a “simpatia” do Johnny Rotten, que costuma ser rude e grosseiro com o público, nessa noite estava mais que simpático. Brincando com o público, fazendo perguntas sobre o que as pessoas achavam do EUA no Iraque, esse tipo de coisa. E o que me assustou foi ver o Steve Jones mais que inchado, sério, parece que o sujeito ía explodir. Já o Glen Mattlock e o Paul Cook continuam os mesmo magrelos de sempre, só que com rugas.

 

Depois de ver um show desses só me restava estar mais do que feliz por ter incluído no currículo de shows outra banda clássica que ouvia desde moleque.

Bom, como já estava contente com a noite, me dava igual que banda ver naquele momento, então fui ver Kaiser Chiefs. Essa banda faz um tremendo sucesso na terra das touradas. Vi eles ano passado no mesmo festival, não é uma banda que gosto muito, se toca em alguma festa, está bem, mas não é o tipo de banda que baixaría ou compraría algo. O que posso dizer do show deles é que é um show muito divertido, com muita interação com o público e são todos ótimos músicos, sem contar a produção, de primeira. Fiquei impresionado (ano passado e ainda mais esse ano) como as pessoas gostam e sabem todas as músicas deles, sem dúvida fazem mais sucesso aquí do que no Brasil.

 

E para encerrar a noite, a banda espanhola Los Planetas. Em todo o festival não vi mais nenhuma banda espanhola depois deles, ou por coincidir com outras coisas que queria ver, ou por serem muito cedo, e cheguei ambos dias perto das 21hs, senão ninguém aguenta.

 

Tinha ouvido falar muito nessa banda Los Planetas, através dos amigos da minha ex-banda aquí na Espanha, No Aloha. Sempre falavam muito bem, que são muito adorados por aquí, e foram adorados ainda mais nos anos 90. Mas sinceramente, depois de ouvir tantos bons comentários, posso dizer que tive uma grande decepção. Eles fazem um tipo de indie pop que no meu conceito só posso chamar de uma coisa: chata, parada, com letras ainda mais chatas e sem sentido, ou seja, música para boi dormir. Tentam ainda misturar umas coisas eletrônicas para tentarem serem modernos, mas sem sucesso. Tudo que acabo de comentar sobre essa banda é somente o meu ponto de vista. Porque acredito que o ponto de vista dos espanhóis não era o mesmo. Realmente o que me falavam era verdade. Nesse show se pôde ver como pessoas daqui adoram eles, cantando todas as músicas. E à medida que o show seguia, as pessoas se entregavam ainda mais. Como em mim o “efeito” dos Los Planetas não funcionava, só me restou ir embora, também já bastava, depois de mais de 8hs de música no máximo volume, só queria descansar.

 

19/07 – Dia 2:

 

Segundo dia fazendo ainda mais calor que o primeiro, mas pelo menos a viagem de casa à Boadilla del Monte foi mais curta. Dessa vez escolhi a mesma opção do ano passado, o bom e velho busão, e o melhor, com ar-acondicionado.

 

Bom, agora voltando ao rock and roll. Cheguei mais ou menos na metade do show da Grinderman, a banda paralela do Nick Cave. Não conhecia nem nunca tinha ouvido falar (desculpe a minha ignorância) que o Nick Cave tinha uma banda paralela. Somente sabia que de vez em quando participa em discos de muitos artistas. Realmente a banda me impressionou muito, mas não pela música em si, senão pela presença de palco e pela barulheira que os caras fazem em cima do palco, para deixar surdo qualquer amante dos altos volumes. O tipo de música não fazia muito meu estilo, mas em geral não estava mal. Também é um pouco difícil comentar sobre uma banda que não conheces.

 

Saí um pouco antes de terminar o show para pegar um lugar legal para ver a Blondie, e valeu a pena, porque fiquei bem perto. Para não mudar muito o esquema, começam no horario, e abrem com a bela canção Hanging On The Telephone. Sério, aquele arrepio foi subindo dos pés à cabeça, realmente um show que emociona qualquer fã da música dos anos 80, especialmente fãs do New Wave como eu. E foi continuando assim, uma atrás fa outra, sem falarem muito entre as canções. De segunda mandaram One Way Or Another, e logo depois o grande hit Heart of Glass, música que fez a banda famosa no fim dos anos 70. As músicas que lembro são: The Tide Is High, Picture This, Union City Blue, Dreaming, I´m Always Touched By Your (Presence Dear), Brite Side, Rapture, Sunday Girl, a incrível Call Me (a melhor música deles na minha opinião), e fecharam com Rip Her To Shreds, com a galera fazendo coro naquele tão famoso riff de guitarra. Resumindo: melhor show de todo o festival.

 

A banda em sí é um pouco “morta” no palco, mas a Debbie Harry detona, a mulher pode estar com seus cinquenta e tantos, mas ainda pula e dança muito bem. Depois de já estar satisfeito com um showzasso e ver a “tia” Debbie Harry frente a frente, me dirijo ao palco onde já estavam tocando Interpol.

Já tinha ouvido muito falar dessa banda, mas nunca parei para ouvir com atenção. Apesar de não conhecer a banda gostei do show. Em alguns momentos estava um pouco monótono, não gostei de todas as músicas, mas no geral foi interessante assistir-los. Também é uma banda muito parada no palco, coisa que não gosto muito, mas que é muito comum ver em bandas de indie rock.

 

Acabando o show, rolou aquele tempo para dar uma descansada e tomar algo, para logo depois ver The Verve. Essa banda para mim é mais ou menos como o Interpol, conheço pouco mais de 2 músicas. Outro show interessante de se ver, mas nada que me fez mover o corpo. Vi a metade do show, e já fui embora por não aguentar mais “baladinhas”. Gosto de muitas baladas, mas num festival onde se vê 5 ou 6 shows numa noite, e ainda mais depois de ver Blondie, não rola muito astral para ficar num show de música lenta.

Mas ambas bandas estão de parabéns pela produção do show, com vídeos de fundo, gráficos e luzes muito bem programadas.

 

Como o show do The Verve não animava muito, fomos a ver uma banda japonesa chamada Cornelius. Conheci nesse mesmo fim de semana, através do meu amigo sul-africano Rob, que me acompanhou ao festival. Ele gosta de muita coisa eletrônica, por isso já estava achando que iria ver uns japoneses tocando techno. Que nada! Foi a revelação desse ano do festival, como ano passado foram os Guillemots. Fiquei realmente de cara com a performance dos “japas”. Musicas loucas de verdade, misturando eletrônico, rock and roll e punk. Algumas músicas pareciam músicas de comerciais de TV, muito cômicas.

 

Outra banda que se destaca pela produção. O próprio vocalista, além de compôr todas as músicas, fica controlando os vídeos de fundo ali mesmo, na raça, sem programação nenhuma. Os japoneses são incríveis mesmo, tenho que reconhecer. Logo depois dessa “boa loucura japonesa”, fui dar outra vez aquela descansada, porque ainda estava acabado do dia anterior. Depois de recuperar as forças, fui para o último show (para mim) do festival, Primal Scream. Grande show, para não ficar parado. Conheço pouca coisa deles, mas realmente não parei um segundo. Depois desse show cheguei à conclusão que tenho que prestar mais atenção nessa banda. E para não ficar atrás, também não economizam na produção. Excelente banda, excelente show, excelentes músicos. Banda perfeita para fechar a noite, e o festival. Depois desse show me rendi, e só queria chegar em casa, ainda mais sabendo que tinha quase uma hora de viagem de volta pela frente. Bom, mais um festival na carteirinha, e segundo Summercase. Agora, vamos ver o que rola no ano que vem.

 

Junior Sofiati

Contracapa 2 anos

julho 23, 2008

Então, Marquinhos Espíndola, titular absoluto da Contracapa do Diário Catarinense, está preparando a festa de dois anos da publicação. Há quem diga que mais uma vez, como rolou em 2007 onde rolou um revival da Phunky Buddha, outra banda lendária de SC também terá um revival digno.

Não contavam mesmo é com os pistoleiros…

Poplist vê a história da música

julho 23, 2008

Boa pedida o mestre Fábio Bianchini, jornalista do Diário Catarinense que mandou o interessante projeto da turma da Poplist, tradicional lista de discussão sobre música na web, que reúne jornalistas, músicos e admiradores da boa música. A idéia é fazer um apanhado da música e cada membro da lista teve a tarefa de escolher um ano e buscar o top hits daquela época. Fominha, Bianchini acabou fazendo a lista de três anos. Confira o papo dele, o endereço para baixar e vale lembrar que em cada tópido da Poplist, o arquivo com as músicas vem junto com o texto sobre o ano citado.

Outro dia, coisa de dois meses atrás, o povo lá na poplist inventou um projeto que é o seguinte: Poplist Vê a História da Música. Parece pretensioso pacas, mas não é tanto assim. Na prática, o que rola é que cada um escolheu um ano e fez uma coletânea ou duas de músicas lançadas naquele ano. Obviamente, não é A HISTÓRIA, mas rendeu um monte de compilação bacana. Eu fiz 1984, 1987 e 1997 (fominha, eu sei; mas é que os alistados pra esses anos não entregavam as suas e passaram os pontos). Lucianetti fez 1998, Granado fez 1972, Klaus fez 2003 e 2004, a Isadora fez 2002. Agora tá quase tudo pronto, estão aqui:

http://poplist.pbwiki.com/PVAHDM

Cada um escolheu como faria a sua. Ou seleção por motivos pessoais, ou as mais importantes, ou as melhores, ou as mais representativas ou o que lhe desse na telha. As minhas acho que foram um mexidão disso tudo. Clicando nas capinhas, tem os links pra baixar cada uma. Se alguém estiver a fim de baixar, sinta-se à vontade.

__._,_.___

Clube da Luta em Floripa é toda sexta

julho 22, 2008
Até enjoar…
Vá nos show do CLUBE DA LUTA SC…
 
neno miranda
tijuquera+2  [ andrey mesmo + neno moura ]
john bala jones
da caverna
dj zé pereira
 
até 23h é só R$5 pila

VAI ENCARAR?
 
25.07.2008
CÉLULA – JOÃO PAULO, 75

VISITE: www.clubedaluta.mus.br

O Joker

julho 22, 2008

Entrando no clima do novo filme do Coringa, digo, do Batman…

Eba! o Engenheiros acabou

julho 22, 2008

Sr. Humberto, favor pegar seu contracheque no RH com Sr. Gessinger

Zefini! Game Over! Foi-se, ha hai! o Engenheiros do Hawaii acabou ou deu uma “pausa”, como mesmo define o Humberto Gessinger, único cara da formação clássica/original e também dono da banda. Humberto demitiu a si próprio e deu férias para ele mesmo. Segundo o site G1, Gessinger, o dono da banda, não explicou o motivo e nem deu uma satisfação para o povo, mas apesar do fim, Humberto não descarta fazer um show de 25 anos de Engenheiros em 2010 – “Ué!!! Se acabou em 2008, significa que dois anos ai vão ficar de lambuja e o cara quer comemorar 25 anos de banda em 2010?”.

Méritos à parte, o Engenheiros foi formado em 1985 em Porto Alegre, foi um dos expoentes do novo róque gaúcho que tomava de assalto as FMs do Sudeste. Na minha humilde opinião, Engenheiros deveria ter parado de vez em 1995 em diante, aliás, várias bandas dos anos 1980 deveriam ter parado no auge.

Conecxão Espanha: Mundo47 no Summercase 2008

julho 21, 2008

foto de juniorsofiati em 21/07/08

Devidamente, excelentemente muito bem representado por Jr. Sofiati, o Júnior da Enzime, hoje residente em Madri, Mundo47 traz nesta semana uma cobertura bacana do Summercase 2008, festival espanhol ocorrido neste fim de semana nos arredores de Madrid. Só loucura! Teve Blondie, Sex Pistols, CSS e outros grandes nomes. Júnior está preparando o material que vamos veicular esta semana. Na foto ele e sua bela Juli. Valeu guri!