Archive for the ‘Cidades’ Category

Rossa: apenas um rapaz latino-americano

outubro 14, 2008

Antônio Rossa, do blog Transitoriamente, está zanzando pela América do Sul e manda um alô e aquela foto nas Grandes Salinas – Argentina. 

 

Ate a proxima segunda-feira teremos percorrido cerca de 10.000km, de busao (Argentina, Chile e Peru), até retornarmos ao Brasil. Estamos produzindo um video desta viagem para uma operadora de turismo, e logicamente montando um portifolio bem bacana de fotos e imagens. Ontem fomos a Machu Picchu, um deslumbre frente a tamanha maravilha da natureza. A interminavel viagem pelo deserto do Atacama tambem merece destaque, um momento sensacional para repensar a vida e os caminhos. Subimos ate 4.300m de altitude e alcancamos o Lago Titicaca. Entre a falta de ar e os pensamentos desconexos, outra maravilha da natureza. La estao as Ilhas Flutuantes de Uros, feitas de uma planta chamada Totora. As pessoas vivem sobre elas. O que fica do Peru é a sensacao de um povo especial, extremamente desapegado e muito solicito. Uma verdadeira aula de humanidade. Um abraco e ate breve, Antonio   
Anúncios

Blog Minhoca na Cabeça está no ar

abril 9, 2008

 

Prestigiar o que é da nossa terra é bom. Eu nasci e morei em Rio do Sul durante 16 anos, foi uma época fantástica que eu relembro com muita saudade. Estou já há quase 12 anos fora de lá, indo esporádicamente para visitar familiares e alguns amigos (devo visitas lá). De notícias de lá, eu sempre tive poucas, sempre busquei informações com meus pais, irmão e familiares. De uns tempos para cá, o blog Mosca na Sopa, de Aldo Nestor Siebert e Gabriel Gomez, era minha fonte de informações da terrinha. No final de 2007 o blog acabou, mas Aldo, acaba de inaugurar seu espaço, o Minhoca na Cabeça, que está no ar desde terça, dia 08.

Eu, Rafael Weiss, editor deste espaço, Riosulense com muito orgulho, ganhei um espaço para escrever sobre música para o site do Aldo. Para inaugurar minha participação no Minhoca Na Cabeça, escolhi falar sobre o livro “1001 Discos Que Você Deve Ouvir Antes de Morrer” – mais objetivamente pelo primeiro disco listado naquele livro enorme de informação pela boa música. No blog do Aldo, eu escolhi fazer uma crônica que fala sobre o disco In The Wee Small Hours, gravado por Frank Sinatra em 1955 e que foi minha primeira trilha daquele livro, desde que começei a baixar todos, um por um. O texto é inédito para o Minhoca na Cabeça e pode ser conferido nos links acima.

Morre em Nova Iorque Micheal J. Fox

abril 1, 2008

 fox.jpg

Morreu no ínicio da noite desta terça-feira, em Nova Iorque, o ator Michael J. Fox. Ele tinha 47 anos e vivia desde 1991 com o mal de Parkinson. Fox foi internado no início da tarde no hospital Ceaser Manhattan Sinai, com uma crise convulsiva reflexiva, causada pelo excesso de remédios que toma para o mal. Ele deverá ser sepultado na cidade de Springfield, no noroeste de Chicago, onde nasceu.

Sua tragetória como ator iniciou em 1980 com o filme Midnight Madness, mas seu grande sucesso foi a trilogia de De Volta Para o Futuro, onde viveu o loser Marty MacFly. O filme foi um dos maiores sucessos do cinema nos anos 80 e início de 90. Seu último trabalho foi no filme Stuart Little 3, onde fez a voz do ratinho Role. Seu último trabalho na televisão americana foi na série Spin City.

Chapecoenses organizam Festa na Chácara na quinta

março 18, 2008

cartazshow-homempassaro-osmarmotta-e-mrtoon.jpg

O rock alternativo sempre foi muito criativo nos seus cartazes de propaganda. Desde a época do Curupira e do Underground eu sempre gostava dos cartazes. O Kaly do Stuart fez até uma música. “Postes feios merecem cartazes feios”, agora gostei da originalidade do pessoal de Chapecó que na quinta-feira está realizando a Festa na Chácara. Roberto Paranotto, mestre dos sortilégios 49, divulga os shows das bandas Homem Pássaro, Mr. Toon (Chapecó) e Os Marmota (Porto Alegre), que será relizada na Granja Galina, na capital do frango. Os ingressos são acessíveis: 5 pila pras mina e 10 mangos pros mano. Não tem erro, inicio do feriadón róque em Chapecó é na Festa na Chácara.

Liverpool: Capital Européia da Cultural em 2008

janeiro 7, 2008

wedding.jpg
Liverpool 1958: George, John e Paul se encontram para o rock

Essa notícia da Folha de São Paulo, sobre a cidade britânica de Liverpool me chamou muito a atenção. Em 2008, vários eventos culturais farão da cidade dos fab four, capital européia da cultura. Até shows de Paul McCartney e Ringo Starr, esquentarão os dias perto das docas do Rio Mersey.

A notícia chama mais ainda a atenção, pois estou lendo a biografia dos Beatles escrita por Bob Spitz e lançada recentemente. Estou bem no início do livro de 975 páginas que conta a história da maior e mais influente banda de rock and roll de todos os tempos, Os Beatles.

Desde os anos 1960, Liverpool chama a atenção, principalmente pela sua fama com os Beatles, mas lendo os primeiros capitulos do livro, não fica difícil de entender porquê Liverpool é um lugar que respira cultura. Assim como outras cidades da Europa, em 1957, quando Paul McCartney conheceu John Lennon naquela quermesse de uma igreja, Liverpool tornou sua história de Estiva e de imigrantes pobres da Irlanda, em cultura. Lennon veio de uma escola de artes e em plena virada dos 50´s para os 60´s, o rock and roll foi a mola propulsora da cultura britânica que não se restringia apenas aos salões de dança ou inferninhos como o Casbah e o Cavern.

Hoje, mais de 50 anos depois, Liverpool é uma cidade britânica que desenvolveu um estilo único na cultura. Seja nas artes plásticas ou na música via Beatles, seu maior patrimônio cultural.

Itajaí também tem muita cultura

Assim como Liverpool, Santa Catarina tem sua cidade com grandes eventos culturais. Trabalho em Itajaí e acompanho na cidade, suas semelhanças com a capital da cultura européia de 2008. Itajaí também tem um porto e a cidade é formada por pessoas trabalhadoras, a maioria com relação ao setor portuário. Itajaí preserva seus ares de um passado de origem portuguesa com casarões bem preservados. Alguns destes casarões se tornaram lugares de cultura como a própria Casa da Cultura e o Mercado Público Municipal. Itajaí tem reconhecimento, embora tímido, em nível estadual, porém faz muito mais do que muita cidade. As vezes até supera a capital em atividades culturais. Tomo como exemplo,  grandes eventos na cidade o Festival de Música de Itajaí, Festival de Teatro, Cidade Revelada e outras atividades.

Bem, na minha opinião, o que falta para Itajaí é algum fenômeno cultural massante, como aconteceu em Liverpool com os Beatles. Quem será que se habilita?

Os melhores de 2007

dezembro 19, 2007

Fim de ano e as tradicionais listinhas de sites, portais e revistas de música começam a sair. O Mundo47 em seu primeiro ano de atividade não poderia ficar de fora. Para não ser muito egoísta, convidei alguns jornalistas que atuam no Estado para nomearem os melhores e piores do ano de 2007.

Neste ano o Mundo47 pediu para todos que nomeassem os 5 melhores álbuns do ano. Nacional e Internacional. Em épocas de NET, nem todos os discos são físicos, valeu aqui discos virtuais, EP´s e até um MySpace bem agilizado. Outro pedido da edição desta página, era que os convidados falassem qual foi o mico do ano e qual a coisa massa de 2007. O único que não fez do jeito que pedi foi Bola Teixeira, o mestre da TWR, mas ele eu perdoo. O restante fez direitinho e é só conferir mais uma lista de melhore e piores. Confira!

Agradecimento aos participantes: Rubens Herbst (AN), Rodrigo Schwarz (AN), Marcos Espíndola (DC), Dorva Resende (DC), Flávio Roberto (Válvula), Fábio Ricardo (Folha de Blu), Bola Texeira (TWR/Photos) e Antônio Rossa (Transitóriamente)

Rafael Weiss

Editor Mundo47 – Balneário Camboriú

Internacionais






Wilco – Sky Blue Sky

wilco_segal-bio1.jpg

Radiohead – In Rainbows
Arcade Fire – Neon Bible
Son Volt – The Search
Neil Young – Chrome Dreams  

Nacionais:

Superguidis – A Amarga Sinfonia do Superstar

superguidis2.jpg

Nação Zumbi – Fome de Tudo
Vanguart – Vanguart
Caetano Veloso – Ce
A Sea Of Leaves – A Sea Of Leaves  

Mico: Filme O Magnata, do Chorão Jr. e Amy Winehouse e sua vida drogada ao extremo.

Golaço: Baixe e pague o quanto quiser, iniciativa do Radiohead.

radiohead.jpg

Rubens Herbst

Jornal A Notícia – Joinville  

Internacional

Raising Sand – Robert  Plant & Alison Krauss

robert.jpg

Easy Tiger – Ryan Adams
Baby 81 – Black Rebel Motorcycle Club
Because of  the Times – Kings of Leon
Neon Bible – Arcade Fire 

Nacional 

Fome de tudo – Nação Zumbi

nacao.jpg

Chega de Falsas Promessas – Canastra
Invisível DJ – Ira!
Vanguart – Vanguart
A Fábula (ou a Farsa) de Dois Eletropandas – Lucy and the Popsonics 

Melhor do ano:  a ótima safra de filmes nacionais (Tropa de Elite, Saneamento Básico, O Cheiro do Ralo, Não por Acaso…) e a volta do Jesus & Mary Chain

Pior coisa do ano: Renan Calheiros sendo absolvido duas vezes no Senado e a volta das Spice Girls.

Fábio Ricardo

Mundi Editora – Blumenau  

Nacionais: 

1 – Cascadura – Bovary
2 – Vanguart – Vanguart
3 – Faichecleres – A Calçada da Fama
4 – Police Play Eggs – Pinowcase
5 – Los Porongas – Los Porongas 

Internacionais: 






1 – Arctic Monkeys – Your Favorite Worst Nightmare

arcticmonkeysvl.jpg

2 – Wilco – Sky Blue Sky
3 – Amy Winehouse – Back to Black
4 – Radiohead – In Rainbows
5 – Mika – Life in a Cartoon Motion 

Pior:

Roberto Carlos em Detalhes, a biografia do Rei, escrita por Paulo César Araújo, foi censurada em todo o país.

rc.jpg

Melhor:

Os Replicantes e Tequila Baby tocando em Blumenau, com a Barba Ruiva Produções trazendo grandes shows de rock para a cidade.

Rodrigo Schwarz

Jornal A Notícia – Joinville 

Internacionais

 “Raising Sand”, Robert Plant e Alison Krauss
“Favourite Worst Nightmare”, Arctic Monkeys
“La Radiolina”, Manu Chao
“The Live EP”, The Black Keys

“On The Corner”, Miles Davis (relançamento)
miles.jpg
Cinco nacionais
“Fome de Tudo”, Nação Zumbi 
Golaço do Ano: Retorno do Led Zeppelin
leds.jpg
Mico do Ano: Show de Jeff Scott Soto (quinta divisão do metal internacional), em Joinville
Antônio Rossa
Blog Transitóriamente – Florianópolis
Nacionais:





DACA – Volume I
dacas.jpg
Aerocirco – Liquidificador
Cê – Caetano Veloso
Céu – Céu
Vanguart – Vanguart  
Internacionais:
Radiohead – In Rainbows
Silverchair – young modern
silverchair.jpg
Arctic Monkeys – Favourite Worst Nightmare
Mika – Life in Cartoon Motion
Manic Street Preachers – Send Away The Tigers  
Melhor: Straight Lines, o primeiro single do mais recente Álbum do Silverchair me fez acreditar em inovação musical neste início de novo século. 
Mico: A versão remix da faixa Straight Lines, do Silverchair. Na tentativa do moderno estragaram a música, um mal gosto terrível.

Bola Teixeira

Rádio TWR/ Revista Photos

Balneário Camboriú

dsc00039.jpg 

Como não ouço, e não compro mais CDs, vou tentar destacar os top 10, entre internacionais e nacionais. O exercício de pesquisa que a TWR me obriga, quase que diariamente, revela uma diversidade enorme de boa música – e ruim também. Minha ligação com a música está totalmente desconectada da técnica. Meu envolvimento é puramente emocional. Nunca toquei porra nenhuma e nem me arrisquei a um karaokê qualquer. Mas vamos ao que interessa. 

O grande nome de 2007 foi Amy Winehouse. Independente de suas atitudes, musicalmente ela é perfeita.  Neste final de ano tenho ouvido muito a banda californiana Cold War Kids, talvez por sua forte influência do blues. Recomendo. Bandas obrigatórias no meu Nero são White Stripes e Queen´s of The Stone Age. Rock e atitude. Minha quarta indicação é a banda The Killers, por confirmar nesse ano ter uma intimidade incrível em produzir hits, e também pelo show na Pedreira Paulo Leminski.  Deixei por último um destaque não só do ano, mas de toda minha relação com a música. Posso me considerar um privilegiado. Já estive presente a shows de diversos ídolos meus como Rolling Stones, David Bowie, Fleetwood Mac, The Police, Eric Clapton, U2, Ramones, Faith no More, e outros menos votados, mas nada se compara ao show de Roger Waters que assistimos juntos no Morumbicha, com certeza, porque o som do Pink Floyd foi a trilha sonora dos meus, bons, tempos de adolescência e, pós adolescência. Foi uma carga emocional muito grande que jamais esquecerei. 

Com relação aos nacionais, confesso que não me entusiasmam muito. O que poderia citar? O ska da banda Móveis Coloniais de Acaju me conquistou.  Tenho me aprofundado mais no trabalho da banda pernambucana Nação Zumbi. Mesmo sem Chico, eles mantém a compostura. Sem puxa-saquismo, Rafael Weiss com o seu bem sucedido blog Mundo 47 e sua sensibilidade em gostar de bandas alternativas nacionais, muitas delas que eu jamais ouviria. Outro destaque foi o fim da revista Bizz, que bem poderia nunca ter saído do armário. Ao retornar seu destino foi o lixo. Falta um. Deixa eu pensar. Vou ficar com o show da Motorocker (é assim que escreve), no decadente John Bull. De tanto eu gritar toca AC/DC até que o vocalista cantou algumas. Até a próxima. Que listinha pau no cu …oohhhh.    

Flávio Roberto Revista Válvula Rock – Itajaí 

Levei em conta não somente o que foi lançado esse ano, mas o que eu mais ouvi e gostei em 2007, tem discos de 2006 (lançados por aqui em 2007) e até de 2008!
 
Internacional (Vai 6 em vez de 5)
 
White Stripes – Icky Thump

whitestripes.jpg
Foo Fighters – Echoes, Silence, Patience and Grace
The Fratellis – Costello Music (Lançado na América em 2007)
Amy Winehouse – Back To Black (Lançado na América em 2007)
Queens Of The Stone Age – Era Vulgaris
Silverchair – Young Modern

Nacional (vai 4 em vez de 5)
 
Autoramas – Teletransporte

auto.jpg
Pato Fu – Daqui Pro Futuro
Lenzi Brothers – Lenzi Brothers (Lançamento só em 2008, mas como já ouvi…)
Cachorro Grande – Todos os Tempos
  
 
Pior do Ano: A volta da Bizz pra terra dos pés juntos, depois de uma regresso apagado OU o NXZero ganhando
prêmios de Banda do Ano!
 
Melhor do Ano: Fenômeno Tropa de Elite, seu fanfarrão!

Marcos Espíndola

Diário Catarinense – Florianópolis 

Internacionais

Justice – Justice
Sound of Silver – LCD Soundsystem

lcd.jpg

Becouse of the times – Kings of Leon
In Rainbows – Radiohead
The Mix Up – Beastie Boys

 Nacionais

Fome de Tudo – Nação Zumbi
Simulacro – China
Liqüidificador – Aerocirco
A Amarga Sinfonia do Superstar – Superguidis
Vanguart – Vanguart

Ponto alto de 2007: A volta do Led Zep é hors-concours, então refiro dedicar o ano a outro retorno, que embora o CD tenha  deixado um pouco a desejar, mas no palco o retorno de Iggy Pop & Stooges foi a porrada mais gostosa que tomei, depois da conquista do Marcílio Dias (Ciiiiiiiliooooooo!!!!)

Mico:

amy1.jpg 

Vou com o Rafael Weiss. Amy Winehouse entra para a história como a maior oportunidade desperdiçada desta década, se rebaixando ao nível do Peter Dohetey, do Babyshambles. Pior que isso só a seleção inglesa!   

Dorva ResendeDiário Catarinense – Floripa 

Internacionais


 

White Chalk, PJ Harvey
pj.jpg
Because of the Times, Kings of Leon
In Rainbows, Radiohead
Person Pitch, Panda Bear
Boys and Girls in America, The Hold Steady

  Nacionais: 

Fome de Tudo, Nação Zumbi
Maquinado, Lucio Maia
Marina de la Riva
Onde Brilham os Olhos Seus, Fernanda Takai
Orquestra Imperial
orquestra.jpg

Marcílio Campeão!

dezembro 12, 2007

img_4098.jpg 

Está certo, está certo, isso aqui é um blog rock and roll, mas eu precisava colocar uma foto do troféu do Marcílio Dias, campeão da Recopa Sul Brasileira e que está em exposição na Prefeitura de Itajaí.

Adotei o Marcílio Dias como time quando vim morar no litoral. Infelizmente, os times da minha cidade natal nunca foram nada. Em Rio do Sul, só o Juventus deu em alguma coisa, mas eu era muito pequeno. Nos anos 90, o Atlético Alto Vale prometia, mas morreu na praia.

Resolvi torcer para o Marcílio, um time que até então nunca havia ganho nada, hehehehehehehehehe, pensei que a minha sina em Santa Catarina era torcer para times que não ganhavam nada, mas eis que este ano o Marcílio Dias foi campeão da Copa Santa Catarina, levando o time para a heróica 3a divisão do Campeonato Brasileiro e a última conquista, a Recopa Sul Brasileira, onde o time rubro-anil levou o caneco (a foto)