Posts Tagged ‘tschumistock’

Esquenta do Tschumistock acontece no sábado em Rio do Sul

novembro 5, 2008

tschumi

Falta menos de duas semanas para o Tschumistock e já neste fim de semana, os riosulenses provarão um pouco do rock que rola no Tschumi na principal praça da cidade. O Pré-Sound do Tschumistock rola na Emembergo Pellizzetti, no Centro, numa espécie de abertura oficial do festival, que ronca as guitarras entre os dias 14 e 16 de novembro, no famoso Sítio dos Tschumi. 

A banda Da Caverna, de Florianópolis, única representante do Clube da Luta no festival, dá um cheguinho em Rio do Sul para este evento que também reúne bandas locais, as famosas pratas da casa como Dramaphones, Costeletas e Vince. O horário de início dos shows é 17 horas. 

 

 

Mais sobre o Tschumistock em: www.tschumistock.com.br
Anúncios

Saiba tudo sobre o Tschumistock 2008 no Rádio Bar

novembro 5, 2008

Nesta quarta-feira, no programa Rádio Bar da Unidavi FM, de Rio do Sul, Rafael Tschumi e seus comparsas falam tudo sobre o Tschumistock 2008, um dos maiores e mais importantes festivais de Santa Catarina. Sabatinados pelos apresentadores Rafael Beling e Thiago Amado, os organizadores contam detalhes da edição 2008 do festival.

O programa vai ao ar nesta quarta-feira às 22 horas com reprise no sábado, 15 horas. Se você não mora em Rio do Sul, escute o programa através do link da rádio Unidavi.

Escute

www.unidavi.edu.br
www.fotolog.com/programaradiobar

Drops de uma madrugada de terça…

novembro 4, 2008

# passada a ressaca do GP Brasil, o país amanheceu com um inimigo público nº 1: Timo Glock. O piloto alemão da Toyota foi o cara que deixou passar o Hamilton na última curva do GP Brasil no Domingo, o que deixou o Felipe Massa sem o canecão do ano. Nada me tira da cabeça que o pilotinho de merda tirou o pé pro inglês passar. Pô, mesmo com chuva, os especialistas em automobilismo garantem que o cara não faria 1min44seg para dar uma volta em Interlagos.

timomundo

Timo, tu já sabe onde enfiar esse dedo ao chegar na Alemanha!

# como dizia a propaganda, o brasileiro é apaixonado pelo automobilismo mesmo, leva tudo muito a sério, eu to só colaborando. Hoje eu tava vendo o CQC, na Band, os caras foram muito bons em sacanagem. Deram uma camisa do Vasco para o Lewis Hamilton. A mandinga quase deu certo, por um triz. Eu começo a começar a acreditar na força poderosa da camisa do Vasco para um vice-campeonato. No final da matéria os caras sugeriram que no próximo ano vão entregar também uma camisa do “curintia”, ai fechô a macumba.

# o Tschumistock se aproxima e a Lenne, da assessoria do festival, tá batalhando por uma sala de imprensa lá no Sítio do Tschumi, para Mundo47, Blog do Marquinhos, Orelhada e quem mais tiver afim, postar notícias direto de Rio do Sul, dos três dias de festival. O Tschumistock será meu Tim Festival, Planeta Terra, REM deste ano, mas com certeza vou me divertir pacas. Ainda mais em casa, rever amigos de infância, gurizada nova, novas bandas. Rio do Sul é uma cidade muito foda mesmo. Foda para chegar lá e foda para pegar um ônibus da Catarinense na rodoviária para ir embora.

# eu como bom riosulense não vou pernoitar no sítio, acho difícil, vou ser um incomodo bacana na casa do meu irmão. Assim ele poderá também saber das chalaças que aconteceram nas noites de wrock em RSL.

# conversando com o mestre dos mestres da malaquice do Sul do país, Ramiro Pissetti, veio uma boa idéia para sair da crise e do meu desemprego que se aproxima. Fazer um guia de puteiros de Balneário Camboriú. Sério, bem profissional, algo completão, com indicadores, avaliação dos serviços, cotação, publicidade de motéis, hotéis, sex-shop, prostis avulças, matérias comportamentais com prostis, estabelecimentos, enfim, putaria rende muita pauta. O problema é convencer a dona patroa que tu vai estar fazendo um serviço profissional…

# a madrugada no MSN também serve para ajudar as pessoas, mesmo de longe. A Juliana César, de Lages, tava desesperada que com as fortes chuvas que caem em SC, bichinhos estranhos invadiram sua casa. Um deles foi uma lesma, que se aventurava pelas paredes da sua casa. “Rafa!, tem uma lesma na minha casa!!”, grita ela. Bom, o que eu posso fazer há mais de 200 km de Lages para acudir minha amiga?

# pô, eu ainda fui prestativo. “Pega um papel liso e põe no caminho da bichana, ela subindo você pode jogar ela na privada”. O desespero aumentou do outro lado do MSN: “Ai Rafa, eu to com nojo, eca!. Ela tá grudada na parede, to passando mal”, disse a querida amiga. Bom, eu já não tinha idéias, disse para dar para o cachorro, a lesma pode ser muito nutritivo para o animalzinho. Ou se tiver mesmo desesperada, joga sal na bicinha que ela vai morrer sufocada e pode cair da parede, sei lá, não sou biólogo.

# minutos mais tarde: “Pronto, já mandei ela pro inferno das lesmas”. Eu questionei como ela tinha feito. A resposta: “Peguei um pauzinho de comida japonesa e fui puxando ela da parede. Ai ela caiu em cima de um papel (segui seu conselho) e mandei pro setor VIPrivado”. Que legal, ela deu jeito no problema que tinha, mas se tivesse um molhozinho shoyo poderia ter degustado a tadinha da lesma…

Tschumistock 2008: site oficial já está no ar

novembro 3, 2008

Legal!

O Tschumistock, que acontecerá entre os dias 14 e 16 de novembro lá em Rio do Sul (Alto Vale Catarinense), já tem seu site oficial. Em formato de blog, notícias diárias e também links com informações sobre o festival, o site é uma boa pedida para quem quer conhecer um pouco mais sobre o Tschumistock. Aqui em Mundo47 também estaremos fazendo uma baita cobertura deste evento, um dos mais importantes da cena independente de SC. 

Acesse: http://www.tschumistock.com.br/blog/

Hoje tem Liss no programa Radio Bar

outubro 29, 2008

O programa Rádio Bar, da Unidavi FM, de Rio do Sul, traz nesta quarta-feira, a partir das 22 horas, a banda Liss. Em duas horas de bate-papo e muito rock and roll, os integrantes da banda e os apresentadores do programa, mostram o trabalho de uma das melhores bandas catarinenses e uma das melhores bandas que Rio do Sul já revelou para o cenário rock catarinense. 

Na pauta um pouco da história da banda, a participação histórica no Claro que é Rock, curiosidades sobre os músicos, a Xine e muitas histórias do Tschumistock. 

 

 

 
Programa RadioBar
Rádio Unidavi FM 106.7 ou www.unidavi.edu.br (nesse site você encontra o link da rádio)
Todas as quartas, às 22h com reprise aos sábados, às 15h.
Contato – cluberadiobar@hotmail.com

Tschumistock news

outubro 26, 2008

Estive em Rio do Sul na quinta-feira, antes de sair de viagem e passei para bater um plá com o Rafael Tschumi, boss de um dos festivais mais tradicionais de rock de SC, que neste ano está com uma programação super quente.

Rafa é um dos agitadores do rock no estado. Fala mansa, sempre calmo e sereno, Rafa mostrava que a coisa anda todo ano no Tschumi no peito e na raça. No mesmo dia o cara ia buscar a papelaria de divulgação do festival e os ingressos, que nesta semana deverão ir para os pontos de vendas.

O Tschumistock desse ano promete. A escalação priorizou bandas de rock e as de metal que vão tocar este ano, são bandas muito boas e com shows marcantes, portanto eu acredito que esta edição de 2008 será uma das melhores do ano. A imprensa especializada no jornalismo musical deve acompanhar, principalmente a galera blogueira do estado, como o Mundo47 que estará lá com toda certeza.

Neste dia 08 de novembro, haverá o esquenta do Tschumistock, com bandas locais e também a galera do Da Caverna.

Esta semana ainda faremos um baita post sobre o Tschumi. Fique ligado.

Programação do Tschumistock é quente!

outubro 17, 2008

Bom, passamos da metade do mês e agora faltam menos de 30 dias para o início do Tschumistock 2008, um dos maiores e melhores festivais ao ar livre do Sul. A programação para os três dias de festival já está na mão (confira abaixo). O Tschumistock traz neste ano um excelente panorama de bandas catarinenses. Serão três dias de muita loucura.

Fique atento para a compra dos ingressos. O preço normal para os três dias será R$ 40,00 + 1kg de alimento não perecível – A ENTREGA DO ALIMENTO É OBRIGATÓRIA – Se você se agilizar, poderá comprar ingressos antecipados a R$ 20,00 + o 1kg de alimento não perecível. Estudantes também pagam R$ 20,00. Vale lembrar mais uma vez que sem o alimento, NÃO ENTRA. 

 

Lista definitiva e programação das bandas – 2008.

Hr. Sexta 14/1120 VIII Pecado
21 Songbook
22 Os Impostores
23 Six Six The Clown
24 Sodamned
01 Dark Whisper
02 Costeletas
03 Full Gas
04 Hopeless Army
05

 

Hr. Sábado 15/1116 Fevereiro da Silva
17 Ursulla
18 The Headcutters
19 LISS
20 Lenzi Brothers
21 Forest of Demons
22 Rhestus
23 Variantes
24 Dissonantes
01 Euthanásia
02 Old Machine
03 Karadura Blues Brothers
04 Apicultores Clandestinos
05 The Lords

 

Hr. Domingo 16/1110 Ninguém Sabe
11 Vince
12 Dramaphones
13 Parachamas
14 Cummings
15 Califalisa
16 Musicbox Superhero
Locais de venda de ingressos 

Rio do Sul::: Scala For Men / Gddoky / Lojas Presidente / Mastercel / Multisom
Presidente Getúlio / Ibirama / Indaial::: Lojas Presidente
Taió::: Mastercel / Lojas Presidente
Ituporanga / Apiuna::: Mastercel
Blumenau / Joinville / Balneário Camboriú / Curitiba::: Multisom
Florianópolis::: Roots Records

Em breve Mundo47 estará colocando mais informações, mas as básicas estão ai. Fique mais atento ainda na comunidade do Orkut do Tschumistock, lá sempre tem novidades e também interagir com outros rockers que vão este ano. Organize sua turma, sua namorada, seus amigos, sua barraca e vá ao Tschumistock deste ano, simplesmente IMPERDÍVEL!

Liss volta aos palcos nesta sexta em Rio do Sul

outubro 15, 2008

Politicamente a cidade de Rio do Sul, lá no Alto Vale catarinense, está em chamas. Para botar mais fogo ainda na cidade, a galera que organiza o Tschumistock prepara para esta sexta-feira, 17, mais uma fextênha rock and roll no Porão do Duque – um velho porão num dos clubes de caça e tiro mais antigos da cidade – trazendo três bandas, as locais Vince, Dramaphones, que no dia vai tocar um repertório de covers dos Strokes e a aclamada, porém sempre no estaleiro banda Liss, que em 2006 foi muito bem na seletiva do Claro que é Rock, em Floripa. Uma festa imperdível para a galera do Alto Vale e também um esquenta para o Tschumistock 2008, que rola entre os dias 14 e 16 de novembro na mesma cidade. Bom, informações gerais da festa no cartaz acima. Aproveita ai!

A discotecagem em vinil fica por conta do Palilo (Costeletas)

Dramaphones volta com seqüência de shows

outubro 7, 2008

Depois de uma pequena pausa, os riosulenses da Dramaphones voltam à ativa. Segundo o vocalista Marlom, a banda estava parada para outros projetos dos integrantes. O guitarrista Rapha deu uma vazada e não faz mais parte da banda. Segundo consta, ele agora vai cuidar dos seus estudos em Floripa. Marlon manda também a agenda de shows da banda, que por enquanto está como powertrio, mas que apresenta novo guitarrista no Tschumistock 2008. 

 

 

Dramaphones 
 
11/10 – Ibirama – Re-inauguração do Krokus Bar – com Vince, Master Key, Legdef e Horário Nóbilis
12/10 – TV AL (Assembléia Legislativa SC) – Programa Fala Jovem – 14:20min
12/10 – Blumenau – Street Games Atlântida – (11 e 12 de outubro) Várias bandas.
18/10 – Blumenau – OkCOVERfest – Dramaphones (The Strokes), BugScream (Foo Fighters), Bigodegato (Pearl Jam), Surprise Set (Blink182).
25/10 – Ibirama – Noisy Halloween – com Parachamas, La Belle Excuse, Inner Core, Vince, MusicBox Superhero, Trade Your Heart For A Liver.
1/11 – Presidente Getúlio – Yanko´s Fest
16/11 – Rio do Sul – Domingo no Tschumistock

Sai escalação oficial do Tschumistock 2008

outubro 4, 2008

Euthanasia, em turnê de despedida, volta para o dizer “valeu” ao Tschumi

Rafael Tschumi, pai e organizador do Tschumistock,  em sua coluna por e-mail, Fermata, divulgou nesta sexta-feira a escalação oficial do Tschumistock 2008, que acontecerá em Rio do Sul, Santa Catarina no mês de novembro.

A galera do Mamado´s recebeu muito material e passou o festival de 25 para 30 bandas no final de semana rock. A escalação deste ano é muito boa, uma das melhores dos últimos anos e traz bandas novas que estão fazendo muito sucesso no meio independente e também bandas consolidadas, algumas de fora e também sempre a promoção das bandas locais.  Confira a lista:

Lista oficial Tschumistock 2008

Apicultores Clandestinos

Rio do Sul

Califaliza

São José

Costeletas

Rio do Sul

Cummings

Brusque

Dark Whisper

Lages

Dissonantes

Curitiba

Dramaphones

Rio do Sul

Euthanásia

Florianopolis

Fevereiro da Silva

Joinville

Flesh Grinder

Joinville

Full Gas

Rio do Sul

Gangrena Inc

Criciúma

Karadura Blues Brother

Joinville

Lenzi Brothers

Balneário Cam

Liss

Rio do Sul

Musicbox Superhero

Floripa

Ninguém Sabe

Itajaí

Old Machine

Joinville

Os Impostores

Rio do Sul

Parachamas

Blumenau

Reino Fungi

Joinville

Rhestus

Timbó

Six Six The Clawn

Rio do Sul

Sodamned

Rio do Sul

Songbook

Rio do Sul

The Headcutters

Balneário

The Lords

Florianópolis

Ursulla

Joinville

VIII Pecado

Rio do Sul

Vince

Rio do Sul

 

Outra novidade deste ano é o Tschumistock Pre-Sound. A idéia dos organizadores é interagir o festival com a comunidade de Rio do Sul, portando no dia 8 de novembro, uma semana antes, na praça Emembergo Pellizzetti, bem no centro da cidade, acontecerá uma espécie de esquenta com bandas que também irão tocar no Tschumistock na semana seguinte.

Rio do Sul vai ferver em novembro no Tschumistock, um dos festivais mais antigos de Santa Catarina, organizado ao ar livre, num sítio distante da cidade, bem ao clima Woodstock. Desde 1998 ele tomou proporções maiores e a galera que organiza, se preocupou em oferecer principalmente segurança, infra-estrutua de bar, cozinha, banheiros, além de palco coberto, chuveiros, área ampla para camping, iluminação, lagoa para banho, trilhas e claro, rock and roll. Mesmo com muitas dificuldades, todo ano o festival sai e graças ao empenho da galera local, o Festival acontece e é referência para todo o país, pois muitas bandas querem vir e sentir esse clima “Woodstock”.

Sobre as bandas selecionadas este ano, como disse, foram muito bem selecionadas, pelos menos a maioria é de conhecimento aqui do Mundo47. Algumas delas, principalmente as locais, não passaram ainda pelas nossas páginas, mas em breve vamos atrás destes perdidos. O Tschumi também contempla outros estilos do rock, como o metal, punk, hardcore, não somente rock clássico ou indie rock.

Saiba mais sobre o festival:

Orkut

Site Oficial

Nesta quinta tem doc do Tschumistock em Florianópolis

outubro 2, 2008

Eu e Wanderson: três dias de muito rock, loucuras e muito trabalho

Em novembro de 2001 eu estive mais uma vez participando de uma edição do Tschumistock, um dos maiores festivais de rock ao ar livre, que acontece desde 1995 em Rio do Sul, Alto Vale do Itajaí, em Santa Catarina. Minha relação com o festival vem da adolescência, dos tempos de colégio, onde com os amigos, participei ativamente do início do festival. Em 2001, faltava menos de um ano para minha formatura no curso de jornalismo.

Eu há havia passado pela experiência de trabalhar, dentro da universidade mesmo, em jornal experimental e na Rádio Univali, durante dois anos produzindo e apresentando o programa Pirão Catarina, mas confesso que durante todo o período de Univali, a profissão de repórter de TV não me atraía. Mas o mês de novembro chegava e com ele o Tschumistock daquele ano. Sabendo que iria me incomodar muito em 2002 para fazer um projeto legal para colar grau, coloquei um desafio para mim mesmo, de que eu poderia fazer um documentário sobre um dos festivais que eu mais conheço: o Tschumistock.

O primeiro passo foi convencer a professora Jane, lá do curso, que eu queria fazer o vídeo em Rio do Sul. Ela topou e me disse que seria orientadora. O segundo passo foi convencer o professor Wallace Lehmmann, então coordenador e o cara que construiu os moderníssimos estúdios da Univali para PP e Jornalismo, a me dar o equipamento totalmente digital em DVCam, uma novidade para a academia na época, para levar isso até Rio do Sul e durante alguns dias, produzir. Eu realmente não tinha muito tempo. O homem foi osso duro de roer, mas no final e graças à professora Jane, o equipamento moderno e novinho em folha foi liberado.

Papo de “Rafaéis”: Tschumi e eu conversando sobre o festival

O segundo passo foi formar uma pequena equipe para ajudar. O colega de curso e hoje jornalista Wanderson Werch foi o primeiro a topar fazer câmera para mim no festival. O segundo a aderir, que também ajudou na idéia de ir para Rio do Sul e filmar toda a loucura, o publicitário Alyson Darugna, se juntou na pequena equipe e juntos fomos para a cidade filmar todo o Tschumistock. Mas ainda faltava uma coisa. O que fazer lá? Filmar o que? Com qual foco, ideal? Bom, confesso que no princípio pensei naquela história toda de câmera no ombro, microfone na mão e vamos ver no que dá, mas pensei melhor e fazer algo mostrando a alma do festival e o que ele representa para organizadores, freqüentadores e até mesmo moradores da cidade ou próximidades, era muito melhor. Ainda no improviso e sem muita idéia, fomos alguns dias antes do início da festa. Inspirado totalmente no filme do Woodstock 1969, filmamos os preparativos lá no Sítio dos Tschumi e também fizemos alguns takes pela cidade de Rio do Sul, com depoimentos e opiniões de pessoas comuns, lá no Centro da cidade.

Depois passamos ao Festival, onde realizamos uma série de pautas e takes. Filmamos todo o lugar, as atrações, as pessoas e partimos também para entrevistas com os organizadores, músicos e o público. Também filmamos uma música inteira de cada banda. A idéia era produzir clipes a partir dos takes, mas acabamos por escolher três bandas e colocamos no filme uma música de cada. Tentei ser eclético ao máximo, com uma banda indie (Madeixas), uma de heavy metal, estilo muito característico em festivais como este (Rhasalom) e uma banda com um pouco mais de história (Vlad V). Muitas outras boas ficaram de fora da edição final.

Equipe: Wanderson, Alyson e eu lá na minha ex-casa em Rio do Sul

Bom, a edição final foi um pouco complicada, mas pioneira na Univali. Foi o primeiro editado e finalizado em edição não linear, o que exigiu muito do editor Rodrigo Weichermann (hoje morando na Alemanha e editor da Deutch Welle). Tinha um outro problema, que poucos documentários foram apresentados em mais de 10 anos de história na Univali. Geralmente os colegas optam por grandes reportagens, mas eu não, adotei uma linguagem mais para documentário, não mostrando a figura do entrevistador nas entrevistas e com narração. Cheguei a um acordo com a universidade e produzi um filme com 29 minutos. Praticamente dobrei essa proposta, indo de 12 minutos para 29, então mesmo assim, achei que fiquei no lucro.

Editado em 2002, meses depois da filmagem, achei que o resultado final ficou muito satisfatório. Hoje vendo e revendo o vídeo, acho que falta muita coisa nele e também, por ser ainda um novato nessa área de vídeo, achei que poderia ter uma linguagem um pouco melhor. Mas o filme Tschumistock – A Casa do Rock And Roll, se tornou um grato sucesso e até hoje é lembrado na Univali. Na banca examinadora ele obteve nota máxima e foi julgado pela professora orientadora e pelos jornalistas Diógenes Fischer (vocalista dos Pistoleiros/Superbug) e Léo Castro (professor da Univali).

Depois de algumas exibições entre 2002 e 2003 o documentário caiu no meu próprio esquecimento. Não consegui levar o projeto adiante. A nota triste aconteceu em setembro de 2003, quando um larápio filha da puta entrou no meu carro e levou uma bolsa minha que estava no porta-malas com o original do filme em DVCam. Me sobraram algumas fitas dele em Super VHS e VHS. Naquele setembro de 2003, transformar uma fita em DVD não era uma tarefa nada fácil, burro fui eu, mas não adianta não, pelo menos sei que ajudei um pouco na cultura de um desgraçado.

Depois de tanta história, chegou a vez de agradecer hoje, o convite do pessoal da Insecta Procuções e os curadores do Cinema Noise, Gurcius e Daniel Villa Verde, pela oportunidade de mostrar o documentário para o público que participa do festival e que gosta de rock. Para mim será um momento de que finalmente encontrei o público ideal para ele. Foi minha tentativa de homenagear o festival que gosto tanto e que em 2005 tive a honra de estar lá como um músico, com a banda The Colors, onde fizemos uma linda apresentação. O Tschumistock representa muito para mim. É algo que vi nascendo, crescendo, que ajudei a fazer, documentei grande parte da história do festival com fotos. Ganhei até um apelido dos rockers. Me chamavam de Jorge Tadeu, já que eu ia para o Tschumi com um copo de cerveja numa mão e uma máquina fotográfica na outra.

Espero que todos gostem da exibição que acontecerá hoje no CIC.

ATENÇÃO: EM BREVE O DOCUMENTÁRIO ESTARÁ NO YOUTUBE

 

(Quinta Feira, 02 de outubro) Cinema Noise

20:30 – Tschumistock: A Casa do Rock (Rafael Weiss, 2002, 29′)

IMPORTANTE: Vamos passar um filme colado no outro, por isso os horários podem variar um pouco. São 5 horas de filme+música por dia, entre e saia da sala a qualquer hora! Quando: do dia 28 de setembro até 02 de outubro Onde: MIS-SC (CIC) Av. Governador Irineu Bornhausen, 5600

“Entrada Franca”

Tschumistock apresenta desenho oficial deste ano

setembro 22, 2008

O Tschumistock, que acontece todos os anos em Rio do Sul, também é uma vitrine para trabalhos artísticos do underground local. Durante algum tempo, os desenhistas Marcelo Fronza e Alejandre Oliveira, se revezaram na responsabilidade de fazerem os desenhos mais pirados do festival. De uns tempos para cá, a organização abriu maior espaço e durante algum tempo, vem recebendo além do material das bandas, desenhos de vários artistas, candidatos a serem tema do evento. O desenho escolhido vai para a estampa de mais de 300 camisetas, folders, site e outros. 

O desenho acima é assinado pelo desenhista Fabinho e será tema do ano de 2008. Segundo a organização, os traços nãos são tão convencionais dos desenhos já usuais no festival, mas teve pontos a favor pelo movimento e jovialidade.  A assessoria do festival divulga também que o site entra no ar nesta semana, com novidades sobre a estrutura e a divulgação das atrações de 2008. 

 


Tschumistock 2008: inscrições para bandas até 15/08

julho 30, 2008

Marcelo Mancha e sua Euthanásia em novembro de 1999 -foto Weiss

Ainda falando em Rio do Sul, a galera do Mamado´s divulga que as bandas interessadas em participar do Tschumistock 2008 – 14a Edição – podem enviar seu material para a produção do festival, um dos mais tradicionais festivais de Santa Catarina.

Vale lembrar que você deve enviar seu material com músicas próprias até o dia 15 de agosto. O Tschumistock acontecerá entre os dias 14 e 16 de novembro no Sítio do Tschumi, em Rio do Sul, no Alto Vale catarinense.  Serão selecionadas 25 bandas e as bandas que já mandaram material nos anos anteriores e querem concorrer com o mesmo,  é só manifestarem sua intenção pelo costeletas@gmail.com

Anote o endereço:

Rua Carlos Gomes, 12 – Centro
Rio do Sul – SC
CEP: 89-160-000
 

Visite o site oficial:
www.tschumistock.com.br

Allright, Allright! Cuba Drinker and The Hi-Fi´s

julho 25, 2008

 

Lima, Najuí, Sofiati e Diógenes: allright!!!

Esta semana o Mundo47 está meio na marcha lenta, mas quando algumas coisas caem do céu, não dá para ficar pensando muito. Há tempos eu já precisava de material assim, mas eis que Mr. Najuí, o Cuba Drinker, me manda um e-mail com essas fotos históricas dessa lendária banda catarienense da primeira metade desta década.

Cuba Drinker and The Hi-Fi´s é o Mundo47 History Channel de hoje. Especial e sortido.

Show no lendário Underground Rock Bar

Para situar o leitor mais desavisado sobre a história da cena independente de Santa Catarina, Cuba Drinker and The Hi-Fi´s rolou entre 2000 e 2004. Era um projeto de Najuí Estrádulas, de Blumenau que reuniu três figuras de outras bandas para acompanhá-lo na interpretação de suas próprias músicas. Na guitarra Alexandre Lima da banda Minds Away, no baixo a presença de Diógenes Fischer, dos Pistoleiros e Superbug e na bateria, Junior Sofiati, guitarrista da Enzime. Najuí era vocalista e guitarrista do combo.

Segundo Najuí, o Cuba Drinker & the Hi-Fi´s  é lembrado por ser uma das primeiras bandas assumidas de rock´n´roll na cena independente/alternativa da região.  Influenciados por rock/blues/country de raiz e artistas obscuros de todas as épocas, o Cuba mostrou personalidade própria e marcante numa época inundada com as “guitar bands e música alternativa”.
Girls, girls, girls e allright!
Em 2004 a banda findou e hoje está muito difícil de reunir os membros originais, pois Junior está morando na Espanha e Alexandre Lima está morando em Portugal, nos Açores, apenas o próprio Cuba Drinker e Diógenes estão na área, mas mesmo em respeito aos demais integrantes, a banda talvez não colocou nenhum substituto. O CDHF fez história no circuito independente onde fez apresentações antológicas no velho Underground Rock Bar, no Curupira Rock Club e também no Tschumistock. Em 2001 a banda esteve em Goiânia, no Bananada, festival da Monstro Discos. O CDHF não deixou muitas gravações profissionais, apesar de ter um repertório praticamente de músicas próprias. Pelo selo Low Tech rolou a gravação de duas músicas para coletâneas e também um Live At Underground Rock Bar, gravado com um microfone pendurado em cima do palco ligado a um gravador de fita k7. A gravação virou um CD que poucos tem (eu sou um).
Esperamos em breve que Najuí faça um rapa na sua casa e disponibilize estes trabalhos na web para a galera se deliciar.

L.I.M.B.O – novo projeto dos integrantes do Euthanasia

abril 15, 2008

Gurizada resolveu arregaçar as mangas e fazer um som juntos

Marcelo Mancha deu sinal de vida. Meu amigo e chapa dos eventos róque no final dos anos 1990 e início dos 2000, Marcelo Mancha, jornalista e baixista/vocalista da Euthanasia, entrou em contato comigo na semana passada para dar um alô e claro, falar de seu novo projeto. L.I.M.B.O, que iniciou com Jean (guitarrista e vocalista Euthanasia), Heráclito (percussão Euthanasia) + os amigos Kimzak (vocalista do Squadrão da Rima), Vitão A.K.A, MC Create no vocal, Johnlen (que é guitarrista do Supervox) e o Marco na bateria.

Para situar o leitor do Mundo47 nessa história, eu e o Mancha fomos chapas na Univali, entre 1998 e 2000, quando estudávamos naquela instituição de ensino superior e paralelamente, nos engajamos em trazer diversas bandas da cena 048 para o famoso Tschumistock, de Rio do Sul, que na época eu era um assíduo colaborador. Juntos abrimos caminhos para as bandas 48 na cena 47 do Vale do Itajaí. Bandas como a própria Euthanasia (do Mancha), Ambervisions, Los Chick Magnets, Epitaph e outras da cena 48, tiveram a oportunidade de tocar no psicodélico festival riosulense.

A Euthanasia também era uma banda muito movimentada na cena hard core do Estado e do Brasil, participando de projetos, coletâneas e lançando discos próprios. O EP Virginia é uma obra prima do HC nacional e tem a participação do jornalista e militante político Felipe Damo na letra “Ainda bem que você não é da minha rua”. O peso do som do Euthanasia e os vocais rasgatos de Jean e Mancha, foram caractarísticos em SC. A Euthanasia também agregou o rap a cena HC e também as quentes performances percusivas do mestre Heráclito. Enfim, uma banda clássica que segundo Mancha, está desde 2007 naquele lance de não ter muito apoio e não ter lugar mais para tocar.

Sobre o L.I.M.B.O, o baixista avisa que o grupo gravou duas músicas nos estúdios de Alexei Leão no mês passado. “Não tem um estilo definido, é algo entre metal e o rap, eu acho, as vezes parece Euthanasia um pouco mais leve”, diz Mancha. Por enquanto o trabalho do L.I.M.B.O está somente na web, mas existe a possibilidade de um EP na bolachinha.

Vale lembrar que L.I.M.B.O é a junção de quatro bandas da zona 48. Tem gente de São José e Floripa. Muito Influenciado por: Cypress Hill, Hed (pe), Pavilhão 9, Rage Against the Machine, Sepultura, RDP, Bad Religion, Nação Zumbi, Ultramen, Racionais, Ramones e Bob Marley, a banda está pronta para sair pra rua.

Escute o material do L.I.M.B.O
 
www.palcomp3.com.br/aestrutura
www.myspace.com/aestruturalimbo