Os 40 anos de 1968

Quem nunca sentiu vontade de sair na rua e gritar por revolução? Bom, isso só pode acontecer nos dias atuais, pois alguém teve que fazer isso antes, de uma forma mais radical e isso aconteceu em diversas partes do mundo há 40 anos. O ano de 1968 não passou em branco, passou vermelho, de sangue e de revolta.

Era a época dos hippies do flower power, o movimento da contracultura era grande e diversas barreiras estavam sendo quebradas. O movimento mais conhecido mundialmente é o famoso Maio de 1968, quando estudantes da França foram às ruas para lutar pelo seus ideais e contra a política nefasta de Charles de Gaulle, então o presidente. O pau literalmente comeu nas ruas de Paris e durante alguns dias, os milhares de jovens franceses foram procurar sua luta enfrentando a polícia nas ruas.

Já no Brasil, eclodiu a primeira revolta contra a ditadura militar, instalada quatro anos antes. Jovens estudantes foram mortos, muitos espancados e os movimentos de esquerda no Brasil buscavam pelo menos a liberdade, coisa que foi tirada anos antes. Na realidade, o mundo estava um imenso barríl de pólvora. Tudo pela corrida armamentista entre União Soviética e os Estados Unidos e a inútil guerra do Vietnã. Um presidente americano já havia sido assassinado por conta da treta e em 1968, Bob Kennedy, irmão mais novo do presidente John, morto em 63, levou chumbo nas plenárias do Partido Democrata.

Muita coisa mudou de 1968 até hoje. Ganhamos a democracia, o comunismo foi pro saco, mas em compensação, ainda assistimos o poderio americano nos arrasar. Agora o fantoche inimigo vem do oriente, colocam isso na nossa cabeça todos os dias. O Iraque, mais dia ou menos dia, pode virar um Vietnã sem mato, mas com imensas terras na cara. Vendo tudo isso, eu percebo claramente o grande distânciamento dos jovens pela revolta, pela vontade de mudar. Nossos jovens estão cada vez mais imbecis. Eu vejo isso pelo meu meio. Não necessáriamente todos devem ser de esquerda, mas devemos questionar e se preciso, protestar. Há 10 anos, quando entrei para a faculdade, participei do Movimento Estudantil

De principio eu achava que só tinha aqueles carinhas comunistinhas com camisa do Che e nada mais. Mas com o tempo, nosso foco de luta era local, dentro da própria universidade. Lutávamos junto a administração da Univali por melhores condições de ensino. Tivemos muitas vitórias, muitas mesmo. Foi um período legal de formação da minha índole. Hoje, ao pisar na Univali, tive medo e receio, que nossos jovens são bitolados e tendem a aceitar tudo que é proposto. O mundo está mudando, mas ainda há de fazermos uma verdadeira revolução.

Anúncios

2 Respostas to “Os 40 anos de 1968”

  1. Says:

    “o pau literalmente comeu”?
    canibalismo?

  2. Thuany Says:

    Adoreii..Mi ajudOu MtO…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: