Rock SC vive um bom momento até quando?

Desde que eu comecei a escrever aqui no blog Mundo47, percebi claramente que o Rock Catarina, que milito há 11 anos, vive mais uma vez um bom momento. Desde 2000, com a aparição da Pipodélica e outras bandas Catarinas, sempre tive esperanças daquele “Agora Vai”, como diria o título do segundo EP dos Jerusos, porém o “Agora Vai” nunca acontecia.

Tivemos bons momentos via Pipodélica, isso é verdade. Entre 2002 e 2004, a banda era a grande vedete da cena independente catarina. Gravando bons discos e tocando em terras paulistas e paranaenses, os guris de família pareciam viver, o que eu como jornalista musical, sempre sonhei: uma banda catarinense realmente sendo reconhecida. E isso aconteceu de certa forma, porém o mundo independente chega a ser incrédulo e ingrato. O Pipodélica continuou a fazer o que sempre deu vontade, porém as oportunidades via Sudeste não apareceram como deviam. Os guris de família resolveram viver a vida e tocar esporadicamente, gravando EPs maravilhosos e agora recentemente, produzindo um trabalho novo total, mas não com aquele gás daqueles anos.

Outras bandas seguem na mesma linha de pensamento. Além da Pipodélica, podemos destacar o grande trabalho dos blumenauenses do Stuart. Kaly Moura, cérebro de toda a banda, fez um belo início de carreira por SC. Agora a banda está em São Paulo maquinando a cena, mas sempre enfatizando suas origens 47. O reconhecimento em SP ainda é tímido, a banda goza de bons elogios de críticos, mas não alcançou ainda a grande mídia, televisiva principalmente. Em 2008 eles vem com um novo trabalho, que substitui o excelente “Honestidade Não Enche a Barriga”.

O Reino Fungi é outra banda catarina que busca reconhecimento em terras paulistas. Tiveram êxito nas comemorações de 40 anos da Jovem Guarda, quando a gurizada tocou com quase todos os históricos daquela época, porém, os Fungis precisam de algo que não lhe remetessem apenas ao passado, precisavam e precisam de reconhecimento pelo que fazem de autoral, que é muito bom por sinal. Talvez 2008 seja um ano importante para novos rumos na carreira dos Fungis.

Quando vejo as coisas acontecendo, como Clube da Luta, Planeta Atlântida, fextênhas rock bacanas, logo lembro diretamente de Florianópolis. Mas não podemos ficar apenas ligados no que acontece lá. SC tem 293 municípios e você leitor, pode ter certeza que coisas muita coisa acontece neles. Nem todos, mas destacar o importante trabalho do Curupira Rock Clube, de Guaramirim, é não ignorar outro verdadeiro movimento rock and roll no Estado. Se tu perguntar para algum integrante de banda de SP, RS, RJ, sobre rock em SC, eles lembram logo de cara do Curupira. A meca rock and roll de SC, que ficou tempos apagado, mas voltou com tudo em 2007, como bem lembrou o Rubens Herbst, do AN. Muitos shows aconteceram naquele lugar levando em sua grande maioria, bandas que não transitam nas casas de rock da capital. O Kelson da Fly-X é um dos guris que coloca aquele lugar no seu devido “lugar”. Incansável e competente.

Em Blumenau, várias bandas são reveladas nas incríveis festas “roque” do pessoal da Barba Ruiva Produções Artísticas. Esse pessoal, na verdade uma gurizada muito gente boa, dá show em muito marmanjo na hora de fazer festas rock. Barba Ruiva agitou verdadeiramente os blumenauenses que estavam parados no rock. O mesmo vale para a turma do Válvula Rock, de Balneário Camboriú, que em 2007 fez acontecer o rock nesta região com os festivais da revista Válvula Rock. Promovendo bandas locais e trazendo figuras do independente nacional como Matanza e Walverdes. Ainda em Balneário Camboriú, os Lenzi Brothers mantiveram de 2006 até meados de 2007, o importante “Lenzi Brothers Convida”, festa que contava com a banda da família Lenzi e mais uma convidada especial. Infelizmente, graças a imbecilidade dos bares rock de Balneário Camboriú, o projeto morreu, mas eu tenho fé que ele volte em 2008. Balneário Camboriú ainda é Meca para os aficionados pelo Hard Core. Corriqueiramente a turma que agita neste estilo, organiza festivais e trazem grande público para suas festas.

Partindo daqui do litoral, vou para o Oeste Catarinense. A região, ultramente distante do litoral, onde quase tudo acontece, fez de lá sua própria cena. O vocalista da banda Repolho, Roberto Panarotto, em seu blog Agito com Balalau, mostra o que é de importante acontecendo por lá. Várias bandas surgiram em Chapecó e região e o grande destaque vai para os Variantes, o trio de malucos fez o melhor show que eu vi em 2008, até agora. Além deles, RedTomatoes, que estão tentando a vida na capital Paranaense. Chapecó também é ponto de parada para grandes artistas independentes como o Graforréia Xilarmônica, Júpiter Maçã e Cachorro Grande, que nem passam pelo litoral Catarina em suas turnês, vão diretamente para Chapecó.

Por isso e tantas outras, que eu digo que posso ter certeza que em Santa Catarina, vários lugares e cidades tem rock and roll. O texto está se estendendo muito, queria citar mais coisas aqui como em Rio do Sul, o Tschumistock que é tradição e bandas como Liss e Dramaphones , filhos crescidos a partir deste importante festival. A cidade de Brusque com as meninas do Roxanne, o Psicodália, em São Domingos, no Sul, que é organizado por um pessoal do Paraná, mas que escolheram nosso estado para sediar o festival, enfim, o mundo não gira somente num lugar, gira por todos os lados. Floripa, Balneário, Itajaí, Joinville, Guaramirim, Jaraguá do Sul, Rio do Sul, Blumenau, Timbó, Lages, Chapecó, São Domingos, Brusque, Itapema, o rock Catarina está por todos os cantos. É só você se ligar…

Anúncios

30 Respostas to “Rock SC vive um bom momento até quando?”

  1. Jorjão Says:

    Nome aos bois: “Honestidade não enche a barriga” é uma música de outra banda catarina.

  2. Indy Says:

    Querido escritor, o que sinto e vejo que sempre acontece, são músicos sedentos por lugares para tocar tendo que inventar festivais, festas, reuniões para poderem mostrar seu trabalho. De início a grande maioria do público são os amigos, parentes e mesmo os próprios músicos de outras bandas. Eu não acho que todos os olhos estejam na capital Florianópolis quando se fala em SC. Eu sempre li e ouvi as pessoas falando de bandas de diversas partes do estado. O mundo da música tem um lado bem cruel, mas a gente segue…carregando instrumentos, chamando os amigos, não dá pra desistir. Parabéns pelo texto. Yeah!!!

  3. CABRERO Says:

    bom amigo weiss. se o que as bandas procuram é reconhecimento de midia televisiva.. radiofonica.. e essas tranqueiras mais que impedem a “massa” cabeça televisiva radioativa conhecer novos sons, que elas busquem isso. como essas bandas que voce sitou buscam. agora o que é reconhecimento pra voce, e pra muitas outras pessoas, segue uma outra linha de pensamento. sem criticar essa forma de cerebrar o underground busca pelo reconhecimento. apenas apresentando um outro ponto de vista.
    bandas como COLORIR e SODACAFÉ tem um grande reconhecimento por pessoas interessadas em musica, inclusive se não me engano, o sodacafé tem faz parte de um selo internacional e foi lançado até no japão com grande e prazeroza desgustação auditiva dos interessados. sim dos interessados. se a razão do reconhecimento fora alcançar a “grande mídia” meu caro, acho que derepente isso nao acontecerá. simplesmente porque a “grande mídia” e reconhecimento, é tão grande quanto “sua vontade” em recenhecer essas bandas. enfim. só acho chato ver que as pessoas que aparentemente gostam de boa música analisam o fator “suceeso” baseadas em dados de radios e televisões. a internet ta aí. informe-se.

    abraco
    amigo cabrero.

  4. CABRERO Says:

    seguindo, não deixa de ser interessante sua forma de ver ” a cena” catrinense. porem, ela se estendo MUITO alem de stuart, lenzi e esses outros nomes que frequentemente circulam nas panelas do estado. exiztem MUITOS musicos nem um pouco interessados nesses dados e se dando muito bem por aí a fora. voltando ao COLORIR, estavam a pouco apresentando seus sons na CHINA e REINO UNIDO. porem, são informações que não circula nos meios INTERESSADOS por musica. triste. porem real. não sendo ofensivo demais amigo weeis. mas se informe um bucado mais antes de concluir alguma tese sobre UNDREGROUND catarina em seu blog. esse tipo de informação incompleta ou falha, só faz com que outros amigos que buscam por informação acabem se desinformando da ” cena”. cena da tevê, cena do domingo a tarde, cena da atlantida…

  5. CABRERO Says:

    um abraço, e um vivia a real cena que nunca a grande midia conhecerá graças ao bom shiva.

  6. fan del weiss Says:

    Sinceramente, não acho o rock catarina viva um bom momento, aliás, esse bom momento só vai existir de fato quando uma banda de rock tocar nas rádios e vender shows por mais de 10 mil reais tocando suas músicas com jovens do estado todo cantando junto como acontece no RS. Você pode me perguntar: E as bandas que estão fazendo boas músicas? Você é mercenário, só pensa em grana? Não, infelizmente o dinheiro é chave de tudo, se você quer que a sua banda continue e cresça, você tem de ganhar dinheiro, caso contrário terá de trabalhar como “gente normal” , prestar concurso e levar a banda em 2º plano como a maioria faz.
    O Pipodélica só foi a primeira a perceber que “dar murro em ponta de faca”, não resolve… Uma vez o Xuxu chamou a minha banda de: “Os incansáveis”, hoje, depois de ter cansado, entendi o por quê, como sempre, ele está certo. E as grandes promessas do independente nacional que não estouram nunca? A coisa não está feia pro rock só aqui não…
    Sobre a questão: “Só bandas de Florianópolis que aparecem?”, também não concordo. Como nosso amigo Indy falou ai em cima, sempre ouvimos falar de bandas de todo estado. Mas a verdade para as bandas fora da capital é cruel: No dia em que a única força capaz (RBS) resolver promover uma banda de rock em SC, certamente será de Fpolis. Você tinha alguma dúvida de que no dia em que resolvessem colocar bandas independententes no Planeta Atlântida elas seriam todas da capital? Eu não.
    Desculpe a rancinzice, não vamos desistir e nem se iludir…Viva o Rock!!!
    Antes que eu me esqueça, parabéns pelo texto, tá foda…
    Abraço

  7. Rafael Weiss Says:

    Acho que vou precisar de outro texto, mas gostei de todos os comentários, elogiosos ou não, críticos ou rancorosos. Uma pena o amigo Cabrero não se identificar, aliás, todos aqui vivem por trás de codinomes. Apenas um dos coments eu sei quem é.
    Mas o Cabrero se engana quando diz que eu fiz uma análise do underground catarina. Não fiz, não reconheço o Underground como algo underground, pois todos tem o mesmo objetivo. Aparecer e ser comentado. Não creio que alguém monte uma banda para não ser comentado, não ter fãs. As informações que o Cabrero passou sobre Soda Café e Colorir é ótima, mas eu como blogueiro que faço o meu blog em horas vagas, pois não recebo um cent para fazê-lo e o faço quando posso, não fucei essas informações ou não recebi de nenhuma banda. Acho que o Mundo47 é um espaço justamente para novas bandas e bandas que eu considero bom de falar. Também uso muito os meus gostos musicais aqui no blog, se não gosto de uma banda, procuro não falar, mas não querendo dizer nada, para alguém achar que eu não falei de alguém ainda, pois não gosto, não é bem assim. Tem banda de SC que eu gosto, mas até hoje não tive tempo de escrever algo sobre. Não tenho grande mídia por trás, somente eu mesmo. Eu discordo do Marzio (fan del weiss), que não vivemos um bom momento. Não acho que bom momento é tocar na mídia, bom momento, pois estão pipocando cada vez mais no estado, bandas, bandas que pensam no material próprio. Reconhecimento da mídia é como o Marzio falou, será certamente de alguma banda da capital. Quando falo que só se fala da capital, eu to certo no sentido que a grande mídia reconhece mais facilmente o que é feito lá. Por pior que seja. No meu blog eu tento, realmente tento, ser estadual o bastante para falar de todas as partes. Capital, interior, litoral, Norte, sinto falta apenas de informações de lugares que não tem tanta tradição em bandas, como o Sul, Meio Oeste, Planalto, enfim, na medida do possível, o Mundo47 sempre estará fuçando para falar das bandas. Wrock!

  8. fan del weiss Says:

    Ei Weiss, não me entenda mal, não acho que um bom momento seja estar na mídia, e sim ganhar reconhecimento e dignidade.

    A cena do Roque Catarinense está cada vez mais fervilhante com diversas boas bandas fazendo boa música por todos os lados e expondo seu material próprio como nunca se viu antes?

    re: SIM

    Alguma banda nos últimos anos recebeu o reconhecimento merecido de forma que possa trabalhar com dignidade de forma constante expondo seu trabalho próprio para um grande público ?

    re: NÃO

    Abraço

  9. Jorjão Says:

    Quer conhecer o Jorjão, então?

  10. CABRERO Says:

    amigo fando weiss. sua forma de reconhecer reconhecimento limita-se a RBS ou RADIO? camarada, levar um som de SC pra CHINA e pessoas ligadas a musica GRAVAREM e REVENDEREM esse material repassando parte dods lucros a banda.. não é um puta reconhecimento financeiro como voce falou? agora amigo, o que estou querendo dizer é, essa coisa antiga de buscar aparecer em radio.. tv.. já era.. ou voce vive o momento ou vira um rabujento pra sempra féra.. o myspace ta aí.. os musicos estão trocando informações.. e não estão nem aí se voce esta com o radio ligado esperando por eles. enfim, apesar disso.. sempre terão as bandas que buscam esse tipo de exposição na midia. talvez eu esteja comentando no lugar errado.. sei lá. de qualquer forma abraço a todos e que todos alcancem seus objetivos.

  11. Rafael Weiss Says:

    Desculpe o Cabrero, mas agora to entendendo o que quer dizer e concordo, não é somente reconhecimento de rádio e tv que interessa, a internet é uma. Exemplos não faltam. Sobre levar o som de SC pra China, cara, gostaria de saber quem fez o feito e se tiveres contato, ficaria grato.

  12. fan del weiss Says:

    Cabrero, antes de tudo, quero lhe dizer ha décadas não escuto rádio e nem a porcaria da Globo… Sei muito bem do que estou falando por que já tive muita experiência com música na internet, milhares de downloads e sei que esse papo de “o myspace ta aí.. os musicos estão trocando informações…” é muito bonito na teoria mas a realidade ainda não aconteceu e é ingênuo e desinformado quem acredita os grandes meios de comunicação não fazem a diferença pro sucesso de uma banda, pelo menos por aqui em SC. Conheço dezenas de músicos com milhares de “Profile Views” que não tem a grana do aluguel no fim do mês.
    Mas isso não é uma briga cara, obrigado por comentar e feliz ano novo pra você e sua família.
    Abraço

  13. CABRERO Says:

    weiss, dificil não ver o underground como underground seguindo o pensamento que os amigos aqui compartilham. o ground seria a midia esse reconhecimento maravilhos para nossa auto afirmaçao.ou não né. o under seriam todas as bandas. todas tem o mesmo objetivo? creio q não. mas se tivessem continuariam under, em baixo do ground. sorte de caras bem reconhecidos e resolvidos.. como jota quest.. esse sim são upsideground..

    abraços camardas!

  14. CABRERO Says:

    fan di weiss, em nenhum momento levei como briga, se e expressei com truculencia, foi mal! sou assim mesmo. to conversando numa boa.. sussis..

    agora amigo, vejo que sua forma de pensar e objetivos nao batem com as minhas.. então nunca chegaremos a um concensso.. mas podemos trocar informações não é? pontos de vista.. sem ingenuidade, mas por ser bacana conhecer novas formas de pensar mesmo.

    nao mais, sobre o que voce falou em grana e tals.. acho que o papo se estenderia DEMAIS.. mesmo. então sobre isso não falemos mais.. beleza?

    um abraço e tudo de bom pra voces tambem!

  15. Zé Chileme Says:

    Na boa, não sei o que diversas bandas citadas acrescentam ao rock catarinense.
    Além da “queda” na produção do Pipodélica, pode-se dizer que o Stuart passa por um período de estagnação (tirando o show no Goiânia Noise, festival que ao invés de colocar evidência acaba ofuscando o brilho das bandas menores, devido à enorme diferença com as atrações musicais). Basta um breve acesso na comunidade da banda para perceber que o número de shows nunca foi tão fraco.

    O Reino Fungi é esforçado, mas está preso à própria imagem equivocada que criou. Dificilmente vai adquirir projeção desse jeito.
    As bandas do Clube da Luta não possuem consistência para adquirir repercussão fora da Ilha.
    As “fextênhas” de rock geralmente são modorrentas, uma reunião de pessoas com pouca destreza musical e atitude inexpressiva.

    O Curupira Rock Clube deu uma guinada em 2006, desacelerou em 2007 e esperamos que retome o rumo agora.
    Barba Ruiva Produções Artísticas costuma promover as tais festas modorrentas, com raras exceções.
    O oeste catarinense nunca foi a maravilha que os fãs do Repolho acreditaram que fosse e o Tschumistock… bem… os caras são esforçados.
    Muitos vão descer a lenha no meu comentário. Mas, talvez, o que falte ao rock catarina seja isso: senso crítico. Tomara que um dia a situação mude.

    Abraços carinhosos

    José Chileme

    Obs.: Citar o Planeta Atlântida é sacanagem.

  16. Rafael Weiss Says:

    O Zé

    Não vamos ficar bravos com seu comentário, sua opinião. Só uma coisa para comentar, que uma coisa que eu aprendi nesses anos falando de róque catarina, é que por mais que alguém faça alguma coisa para o rock no estado, sempre tem alguém que não gosta, não curte e acha defeito em tudo. O pior que são gente que não fazem nada para “melhorar”, tudo é uma merda.
    Eu acho que esses tipos de pessoas precisam ter um pouco mais de “senso crítico” deles mesmo. Resumindo: Podem achar que tá tudo uma merda, mas tem que admitir que é um merda por não fazer nada para melhorar.

  17. Zé Chileme Says:

    Coisas que faço para contribuir com o rock catarina:

    1) Como não-músico, mas apreciador de música, costumo me colocar no meu lugar e não saio fazendo o que não sei fazer. Se as pessoas seguissem essa filosofia, nossos ouvidos agradeceriam, te garanto.
    2) Como não participo de nenhum projeto musical (nem todos os seres humanos são obrigados a formar bandas) me resta a condição de PÚBLICO. O fato de eu ir em VÁRIOS shows (e pagar por isso) talvez JÁ seja uma boa contribuição, não acha?).
    3) Ao criticar as coisas que PODERIAM SER MELHORADAS, também acho que estou contribuindo com a coisa.
    4) Acesso diariamente o blog Mundo 47, um importante aliado do “rock” catarina.

    Take it easy, baby…
    O merda aqui até declarou esperar que o Curupira retome o rumo e ainda elogiou o pessoal da Tchumistock.

    Boa sorte nos seus empreendimentos, Rafael…

  18. Rafael Weiss Says:

    Ok, abraço, mas não sou empresário.

  19. CABRERO Says:

    bom.. falando ao amigo Zé.. estávamos conversando sobre reconhecimento, creio que você em seu comentário, colocou carga pesada demais de gosto próprio. Ok, normal.. porem a conversa vem seguindo uma outra linha. nao sou ouvinde de sodacafé muito menos de colorir, que foram as bandas que citei. provavelmente odiaria um festival dessas duas bandas.. meu gosto, chatice minha, so um velho rabujento. mas isso nada tem a ver com essas bandas serem reconhecidas pelo bom trabalho que fazem. concorda? então camarada, como ja li muito por aí, se voce nao gosta.. nao vá.. vá no que gosta.. gosta no que vá.. essas manifestaçoes festivas que te abominam, continuaram sendo reconhecidas por que delas gosta.. entendeu a linha de pensamento? e voce estara feliz reconhecendo algo que lhe agrade.. féra, deixemos de ser rabujentos, oraimos por nossos irmãos, que de chatice o grande imã ta empanturrado.

    abraços e beijinhos!

  20. AceVentura Says:

    pra mim tá tudo muito bom, quero que dure o quanto puder =)

  21. Zé Chileme Says:

    Prezado Sr. Cabre(i)ro

    1) Como saberei se eu não gosto se não assistir ao show?
    2) Se eu não for ao show, a meia dúzia de gatos pingados será reduzida a cinco gatos pingados. Pelo menos, contribuo com o rock (me agradando ou não) ao pagar a entrada e tomar algumas cervejas.

    Longa vida ao (bom) rock catarinense

  22. malaco Says:

    Stuart está gravando seu novo Cd, e tocará no grito rock em sp.

  23. CABRERO Says:

    1) se voce (D) gosta ou não, é indiferente pro reconhecimento da banda (A). outrias pessoas (B) gostarão dessa mesma banda (A). voce irá gostar de uma outra banda (C). então tanto A+B quanto D+C = ao reconhecimento que é o assunto a ser falado, não se voce ou eu ou o flan de weiss ou o proprio ilustre weiss, gosta do coco da banda.

    2) aí camarada.. o que isso tem realmente a ver com a conversa? as bandas não precisam de contribuição. quem precisa de contribuição é nosso amigo do governo. talvez, apenas talvez, elas precisem de pessoas que gostem do som, o que certamente é melhor que um emburrado enchendo o cú dos produtores de dinero. que após o show sai detonando essas mesmas bandas e produtores em blogos.. no caso esse.

    bom, por mim assunto encerrado.. como diz o amigo weiss, pelo menos uma coisa nesse mundo da musica aprendemos com tempo.. nao gastar o rabo com sabugo seco.

    abraços e um ótimo 2008 com muita festa, denero e vagininhas boltergaists

  24. Zé Chileme Says:

    – “as bandas não precisam de contribuição?”
    Sabe quanto custa um instrumento (usado que seja)?
    Sabe o preço de um jogo de cordas novo ou de baquetas?

    – “talvez, apenas elas precisem de pessoas que gostem do som”
    Você acha que é disso que as bandas precisam apenas? De um bando de puxa-sacos que não contribuem para o seu crescimento? Vc é daqueles que no final do show fica enxendo o cu dos outros de cavaco, mesmo não gostando tanto do que acabou de ver???

    – “o que certamente é melhor que um emburrado enchendo o cú dos produtores de dinero.”
    Acho que estamos frequentando lugares diferentes. Nos shows que eu costumo ir, nem se cogita a palavra “produtor”.

    – “que após o show sai detonando essas mesmas bandas e produtores em blogos…”
    Definitivamente você está na grande porcentagem de analfabetos funcionais do Brasil. Sabe ler, mas não extrai nada do que leu.

    Adeus.

  25. CABRERO Says:

    rs… bejinho lindu.

  26. Ramiro Says:

    Se ultrapassar os posts da matéria do Iron eu peço demissão.
    Putos.

  27. CABRERO Says:

    ajuda a espalhar porpurina então ai ramiro! queremos sangue!

  28. ramiro Says:

    Vou postar uma matéria DEPOIS do show do Iron, malhando pracaralho.
    Sem ver, claro.

  29. Marlon Says:

    bom, não vou comentar muito, afinal cada um tem uma opinião…
    mas gostaria de agradecer mais uma vez ao rafael e a todos que lembraram da dramaphones, estamos conquistando um público e espaço muito legal… estamos felizes pelo apoio que todos tem nos dado..
    enfim, só tenho a agradecer.
    parabens a todas as bandas do estado, e para os pessimistas só posso dizer que (in)felizmente SANTA CATARINA VAI BOMBAR ESSE ANO! as banda catarinenses tão subindo e vão dominar o mundo! muahaha haha!

  30. ramiro Says:

    Porra, agora que eu vi…
    Iron está disparado em número de comentários, com mais de 50 posts.
    Claro que o Weiss vai reconhecer isso e enviar uma gratificação para o responsável pelo elevado número de acessos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: