Archive for the ‘Bandas Clássicas’ Category

O último show dos Beatles na beatlemania

agosto 29, 2008

Paul, George, Ringo e John: enterrando a beatlemania perante 56 mil pessoas

Eu sempre lembro desta data, 29 de agosto. Seja escrevendo para jornal, coluna na internet e aqui no Mundo47. Hoje, 29 de agosto de 2008, completam-se 42 anos do histórico show no estádio Candlestick Park, em São Francisco -EUA – onde os Beatles encerravam de vez a Beatlemania.

Ano passado eu fiz um texto completo sobre este show – clique aqui para ler

Primeira parte da coletiva de imprensa realizada em 28/08/1966

Video  com imagens  raras do concerto nos EUA. O show foi registrado em áudio muito precário e vídeo mais ainda

Jacko: 50 anos do rei do pop

agosto 29, 2008

Hoje é aniversário de 50 anos do Michael Jackson, mas não sei se o cara tá comemorando muito. Saúde debilitada, rosto totalmente deformado e anos sem um hit, somados a inúmeros escândalos de pedofilia, deixam Jacko com aparência falida, mas como hoje pelo menos é um dia para comemorar o aniversário do cara, melhor mesmo assistirmos um vídeo dele na sua melhor forma.

John e Paul: o encontro histórico em 1974

agosto 12, 2008

O blog Musica Social disponibilizou há alguns dias uma página bacana da história do rock. O encontro de John Lennon e Paul McCartney em 1974, quatro anos após o conturbado fim dos Beatles, onde todo mundo havia processado todo mundo. Um climinha péssimo entre as duas grandes estrelas da maior banda de todos os tempo.

Logo após o fim, George, Ringo e John continuaram se encontrando, um participando do projeto solo do outro. Apenas Paul ficou navegando sozinho e montando seu novo grupo, o Wings.  O dia 31 de março de 1974 é marcado como a data exata do encontro inusitado. Naquele ano Yoko Ono havia dado um belo pé na bunda de Lennon. Beberrão e já com outra oriental, a gostozinha Mae Pang (Yoko era um tribufu, vamos admitir), Lennon estava em Los Angeles produzindo o disco Pussy Cats, de Harri Nilsson. Foi quando à noite, junto com Stevie Wonder, Paul McCartney apareceu e ai os caras resolveram acertar as rusgas tocando uns rocks, bebendo mais bourbon e gravando o encontro. Musicalmente todo mundo estava meio enferrujado ou mucho loco da cachaça, mas o encontro foi gravado com qualidade e o Musica Social disponibiliza as faixas na web para tu baixar de graça meu querido.

The Police: último show ontem nos Estados Unidos

agosto 8, 2008

Foto

A última apresentação do The Police rolou em Nova York ontem. Steve, Andy e Sting demoraram 25 anos para uma turnê grande oficial, mas a volta foi a última rodada de The Police definitivamente. A banda não pretende mais se reunir para apresentação alguma, nem em ocasiões especiais, o fim do fim do fim. Nos anos 1980, o The Police deixou um legado importante para a música Pop. A carreira meteórica não foi motivo para que o Police não deixasse um acervo de excelentes hits. A banda considera que um dos pontos altos da turnê, foi sua passagem pelo Brasil, com show no Maracanã. Agora The Police mesmo só nos vídeos e na memória da galera.

You Tube: Stones e Dylan no Brasil em 1998

julho 28, 2008

Esse sim foi um show histórico no Brasil. Bob Dylan e The Rolling Stones em 1998 num memorável show, onde Dylan subiu ao palco para tocar Like a Rolling Stone junto com os Stones. Memorável, magnífico e repeteco mesmo só no You Tube – “A melhor televisão do mundo”.

Ah, esse show passou ao vivo na Globo naquele ano.

Jim Morrison está vivo… de novo

julho 8, 2008

Será Jim Morrison o Inri Cristo?

O sempre antenado Ramiro Pissetti mandou essa nota que saiu no ClicRBS:

Todo mundo já deve ter escutado aquela velha lorota de que o Elvis não morreu e tal. Pois agora surge a história de que Jim Morrison pode estar vivo e morando em Seychelles, arquipélago do Oceano Índico.

Lembrando que Jim Morrison foi encontrado morto em 1971 no seu apartamento em Paris, após sofrer um ataque cardíaco em decorrência do abuso de drogas.

Mas quem levanta a história bizarra é o tecladista Ray Manzarek, seu velho companheiro no The Doors. O cara disse ao jornal inglês Daily Mail que sempre suspeitou da morte de Morrison. Segundo ele, o cara já tinha falado algumas vezes sobre a possibilidade de simular sua própria morte e fugir pra Seychelles.

Comentário do próprio Ramiro:

Tá certo, cara. Parece que o John Lennon, Jimi Hendrix e a Janis Joplin também estão por lá! O Elvis nem se fala, né? E eu que pensava que depois de velho o pessoal do Doors tinha parado com as drogas… 

Comentário do Weiss:

Me parece que esse povo tá louco para que alguém mucho louco, que já nos deixou, esteja realmente vivo. O certo é que quem pode estar vivo é o Coringa.

Heath Ledger, RIP

Será que ele morreu?

Mudcrutch volta com novo álbum

julho 7, 2008

Get back: volta com disco inteiro e mesma proposta de 33 anos atrás

O meu amigo e colega blogueiro, Rubens Herbst em seu blog Orelhada está certo. Deve ter batido alguma nostalgia em Tom Petty para a volta do Mudcrutch, sua antiga banda entre 1970 e 1975. A banda está de volta com a formação original e vem com um excelente álbum de country rock com músicas antigas e novas.

Visual anos 1970

Mudcrutch, que só tinha lançado um single na sua fase, hoje vem com um discão recheado de bons sons. Para isso, Petty trouxe toda a turma que estava fora do Hardbreakers (Randall Marsh, batera e Tom Leadon, guitarra) para o novo disco. Segundo Rubens, do Orelhada, o disco milagrosamente saiu em edição nacional, portanto, vá a caça do negócio que é bom pacas.

O clipe de “Lover of The Bayou”, gravado originalmente pelos Byrds, dá uma prévia do que é o disco.

Echo and The Bunnymen em Curitiba

junho 23, 2008

 

No próximo dia 04 de julho, Curitiba recebe três expoentes do punk e rock internacional, que marcaram época da geração “old scholl”, para um show histórico na Hellooch (R: Desembargador Westphalen, 4.000). São eles: os britânicos do Echo & The Bunnymen, responsáveis pelos hinos “Killing Moon” e “Lips Like Sugar”, os californianos do T.S.O.L (True Sounds of Liberty) dos hits “Flowers by the door” e “In The Wind”, e os londrinos do Gene Loves Jezebel, famosos com as canções “Desire” e “Love Keeps dragging me down”.

As vendas dos ingressos para o show, que leva a assinatura da Prime, tiveram início no último dia 16 de junho, e custam R$60,00 (MEIA-ENTRADA) primeiro lote com 500 bilhetes. A meia-entrada é válida para estudantes, pessoas acima de 60 anos e para quem doar 1 kg de alimento não-perecível, não acumulativo com outros descontos e promoções. Os ingressos podem ser adquiridos nas lojas 30 Pés (Shopping: Curitiba, Total, Mueller, Crystal, Barigui e Omar) e através do Disk-Ingressos (Quiosques instalados nos shoppings: Mueller e Curitiba, 33150808 e http://www.diskingressos.com.br). Censura: 16 anos. Permitida a entrada de menores de 16 anos acompanhada por um responsável legal.

SERVIÇO:
Show: Echo & The Bunnymen, Gene Loves Jezebel e T.S.O.L
Local: Hellooch (R:Desembargador Westphalen, 4.000)
Data: 04.07.2008 (Sexta-feira)
Horário: a partir das 22 hrs .
Preços: 1o lote (500 ingressos) – R$60,00 (meia-entrada). Após outro valor.
Meia-Entrada: A meia-entrada somente para pista é válida para estudantes, pessoas acima de 60 anos e para quem doar 1 kg de alimento não-perecível, não acumulativo com outros descontos e promoções. Setores especiais (mesas/camarotes) não há desconto. É obrigatória a apresentação do documento previsto em lei que comprove a condição do beneficiário, na compra do ingresso e na entrada da casa de show.
Pontos de Venda: Disk-Ingressos: (Quiosques instalados nos shoppings Mueller e Curitiba, 41 – 3315-0808 e http://www.diskingressos.com.br), Lojas 30 Pés (Shoppings: Mueller, Curitiba, Omar, Park Shopping Barigui, Crystal e Total) e no local. Mesas e Camarotes somente através do disk-ingressos
Informações para o público: (41) 3315-0808 / 30133374
Censura: 16 anos. A entrada para menores de 16 anos é permitida somente acompanhada por um responsável legal.
Realização: Prime.

 

O primeiro grande show do Mundo

junho 21, 2008

O primeiro maior show do mundo. Nova York, Estados Unidos, uma noite quente do verão de 1965. Os Beatles, maior fenômeno pop até então, se prepara para entrar no Shea Stadium, casa do New York Mets, completamente lotado. Há quem diga que foram 70 mil espectadores, mas tem vezes que os números caem para 55 mil almas. Não importa, até então, nada de muito grande, nestas proporções, aconteceu no rock and roll.

Em pleno EUA, quatro ingleses de cabelo grande, tocam quase que inaudíveis para a imensa platéia. Só mesmo em vídeo para ver que eles pelo menos fizeram um grande show de rock. O PA do estádio, usado apenas para anunciar a troca de jogadores durante os jogos e soar acordes daqueles órgãos de estádio, não conseguiu passar pela barreira de 55 mil gritos. Em 30 minutos, tudo registrado em cores pela rede CBS, os Beatles tocaram seus maiores hits até então. Iniciando com “Twist and Shout”, passando por “Baby´s in Black”, “I Feel Fine”, “A Hard Days Night”, “Act Naturly”, “Dizzy Miss Lizzy”, “Ticket To Ride” e finalizando com uma performance eletrizante de “I´m Down”.

Confira o vídeo zipado para o YouTube, “A MAIOR TELEVISÃO DO MUNDO”, por Rafael Weiss

Nazareth toca em Joinville na quarta-feira

maio 19, 2008

Os realmente tiozinhos da banda escocesa Nazareth, tocam no próximo dia 21 de maio em Joinville. O show será quase que privê, na Moom que abrigará no máximo 700 felizardos que verão esta banda que fez muito sucesso nos anos 1970 e que fará um grande apanhado da sua carreira na terra dos principes. O último lote de ingressos custam de R$ 180 a R$ 200 e devem ser adquiridos logo. Infelizmente eu não recebi nenhuma informação oficial do Moom ou alguma acessoria que está cobrindo a vinda dos caras ao nosso estado, lamentável, mas fica a informação retirada do Orelhada, blog do Rubens do AN. Pelo que ele conta, o Nazareth tocará no dia 31 em Tubarão.

Chuck Berry fará shows no Brasil em junho

maio 6, 2008

 

Lenda viva do róque, o guitarrista e compositor norte-americano, Chuck Berry , 81 anos, vem para o Brasil em junho para uma série de shows no Rio de Janeiro (17/6, Vivo Rio), São Paulo (18/6, no HSBC Brasil), Curitiba (20/6, Teatro Positivo) e Porto Alegre (21/6, Pepsi On Stage). Nossa, isso vai ser loucura! Vendo bem, Chuck Berry é três anos mais piá que a minha vó Valmira, but a lenda do rock fará um show salgado em sampa. Segundo o Globo.com, o ingresso mais em conta custará R$ 180 pila.

Chuck Berry, autor de grandes clássicos do rock como “Roll over Beethoven”, “Johnny B. Goode” e “Sweet little sixteen”, já passou pelo Brasil em 1993, durante o extinto festival Free Jazz – que também teve Little Richard na programação. Mais recentemente ele tocou numa feira agropecuária no interior paulista. Em São Paulo a venda de ingressos será apenas para clientes do banco HSBC, que está trazendo o guitarrista ao país.

  

Mutantes lança música inédita 34 anos depois

abril 25, 2008

Depois de 34 anos, o Mutantes volta com sua nova formação para o lançamento de uma música inédita. Mutantes Depois, canção composta pelo novo combo Mutante que é liderado por Sérgio Dias, Dinho e que tem a parceria de Tom Zé. A banda restante é formada por ilustres desconhecidos. Em 2007, Arnaldo Babtista e Zélia Duncan pularam fora do barco psicodélico mutante e Serginho e Dinho ficaram sozinhos, porém continuam com o nome da banda e as apresentações. Rita Lee, da formação clássica nos anos 60, não viu e não quer saber de volta dos Mutantes. Olha, vendo por esta ótica. Ela tá certa. A música Mutante Depois estará disponível para download, gratuitamente no site da banda.

www.mutantes.com.br

 

 

The Beats tocam em Blumenau no dia 23

abril 19, 2008

Paul, John, Pete, George: será que a história seria a mesma?

Eles estão de volta. O quarteto argentino do The Beats – eles dizem que são uma das melhores banda de cover dos Beatles no mundo – tocam nesta quarta-feira, 23, em Blumenau no teatro do Grande Hotel. Tá, até ai não tem novidade nenhuma. Eles tão vindo tanto para cá. A nova é que existe a grande possibilidade de Pete Best, ex-baterista dos Beatles, aquele que foi chutado da banda nas vésperas da fama e trocado por Ringo Starr, venha junto com o quarteto e participe do show. Best está na Argentina, conforme o site TheBeatles.com.br

O boato surgiu na rede, então dia 23, o lance é estar em Blumenau e conhecer de perto uma lenda viva dos fab four.

Serviço:

DIA: 23 DE ABRIL 2008  – QUARTA – FEIRA / 20:30 HRS

INGRESSOS ANTECIPADOS:
RANCHO DO PASTEL – INFORMAÇÕES 47.3324-1555
BRUNETI DISCOS SHOPPING – INFORMAÇÕES 47. 3326-1984
DCE FURB – INFORMAÇÕES 47.3321-0267
R$ 30.00 hoje
R$ 40.00 a partir de amanhã

Resenha: Ozzy Osbourne – SP/05/04/2008

abril 15, 2008

De dieta, sem morcegos e batendo umazinha antes do show

 

Por Klauss Peter Loos*

 

Sábado, 05 de abril, nos dirigimos até São Paulo para assistir a apresentação do lendário Ozzy Osbourne, um ícone do heavy metal e do puro rock’n roll! O que dizer desse senhor de 59 anos, que foi o líder de uma das bandas seminais – Black Sabbat – da história do rock e um dos pais do estilo mais pesado, o Heavy Metal? Muitas pessoas, depois da série de TV The Osbournes, achavam que o velho mestre estava acabado, detonado, em fim de carreira. Mas, para quem é fã de verdade e acompanha as movimentações do estilo, sabia que seria um show histórico, e assim o foi.

 

O estádio do Palmeiras é aconchegante, mas para esse tipo de evento é pequeno, pois muita gente ficou de fora, e 40 mil pessoas é pouco para a grandeza do espetáculo. Às 20 horas, subiu ao palco a banda Black Label Society, do guitarrista da própria banda do Ozzy, o endiabrado Zakk Wylde, que conta com o maior respeito da galera do metal, pois seu estilo único de tocar deixa todos babando pelos seus solos. Foi uma curta apresentação pois ele devia se poupar para o show do Mestre que viria depois, fechando a grande noite.

 

Zakk tocou até os dedos esfolarem

 

Antes de Ozzy subir ao palco, apresentou-se a banda norte-americana Korn, que faz um som estranho, de difícil definição, pois usa muitos samplers, barulhos esquisitos, vocais que, às vezes, lembram musicas de rap e, em certas partes, a guitarra usa afinação bem baixa para dar um groove às musicas.

 

Ao final das apresentações, um clima de ansiedade caiu sobre o estádio que, durante longos minutos, esperou apreensivo pela entrada da estrela da noite. Antes de subir ao palco, Ozzy provocou o público dos bastidores ao gritar no microfone a melodia “Olê Olê Olê”, que foi respondida prontamente pela platéia “Ozzy! Ozzy!”. Foi neste clima que o show começou, com um vídeo hilário, satirizando algumas séries e filmes como “Lost”, “A Família Soprano” e “A Rainha”, onde o músico incorporava alguns dos papéis principais.

 

Por volta das 22:30 horas, a ópera Carmina Burana dava a senha para o início do show, e o cantor britânico entrou detonando “I Don’t Wanna Stop” do seu novo álbum Black Rain. O cantor mostrou vigor no palco, cantou afinado, agitou muito e conseguiu dar conta do recado. Interagindo com a o público o tempo todo, ele fez questão de distribuir vários baldes d’água para os fãs que estavam mais próximos do palco. O Show teve tudo o que podemos esperar de uma bela noite de Heavy Metal. Público alucinado, bandas tocando sem parar, guitarristas empolgados em solos e uma dose de insanidade do guitarrista Zakk Wylde, que cortou a mão durante o último show e continuou a tocar até o final, tingindo sua guitarra de vermelho, mas sem deixar o som parar.

 

Músicas de todas as fases de sua carreira estiveram presentes, com destaque para “War Pigs”, “Iron man” e “Paranoid” de sua antiga (e às vezes atual) banda BLACK SABBATH. Após clássicos como “No More Tears”, “Mr Crowley”, “Mama, I’m Coming Home”, “Crazy Train”, “Suicide Solution”, “Bark at the Moon” e outros,   o cantor deixou o palco, apesar do público implorar por mais e mais músicas, cantando em uníssono “One More Song, One More Song”.

 

Ao final da apresentação, senti minha alma purificada algumas dores no corpo e lágrimas a menos. Afinal, não é sempre que se vai a um show de puro rock. Fico com a sensação de dever cumprido, pois uma possível volta do Ozzy para uma nova apresentação é ainda uma incógnita, pois nunca se sabe o que ele poderá aprontar nos próximos anos! O que seria uma pena para os fãs do rock clássico, que estão vendo seus ídolos sumindo aos poucos e sendo substituídos por astros artificiais criados simplesmente pela mídia.

 

* Klaus é autor de vários textos com resenhas dos melhores shows de heavy metal

 

 

 

Mutantes lança site oficial e colocará música inédita na web

abril 7, 2008

Foi uma verdadeira zona. Primeiro veio a notícia da volta do Mutantes num show em Londres, em 2006. Depois em 2007, uma turnê rolou pelos principais festivais europeus e americanos. Arnaldo, Dinho e Serginho juntos novamente com Zélia Duncan. Rita Lee nem ai para a aventura dos tiozinhos. Recentemente Arnaldo e Zélia pediram o boné e sairam pelos fundos. Não se sabe o porquê, porém, os Mutantes com Sérgio Dias e Dinho Leme continua e está gravando disco novo. Sérgio de certa forma é polêmico, linguarudo e desde que os Mutantes acabaram em sua formação clássica (Rita, Sérgio e Arnaldo), foi ele que não deixou a chama dos Mutantes morrer.

Nesta semana a notícia é que a banda continua e estará lançando em breve um novo álbum. No dia 22 de abril, uma terça-feira, a banda colocará em seu novo site, uma música inédita para donwload. Será a primeira música nova em 32 anos. Numa entrevista publicada no portal de música do UOL, Sérgio Dias disse que não está chateado com a saída dos companheiros, mas que não é mais a mesma coisa. O motivo em si não foi divulgado pela banda e nem por Arnaldo e Zélia, mas para os fãs clássicos da banda, a saída de Arnaldo, pelo menos, deixou a banda menos brilhosa. Arnaldo Babtista é como um Brian Wilson, dos Beach Boys. Não mais com a mesma mobilidade do passado, ambos tem função figurativa de reverência e respeito. Nos Mutantes do ano 2000, Arnaldo pouco cantava e pouco tocava em seu piano, mas tê-lo e vendo ele no palco, era certeza que pelo menos ele estava ali, o mito ficou.

E agora? Como será o Mutantes sem a presença dessa importante figura? Quanto a Zélia Duncan, sinceramente eu achei ela a pessoa errada no lugar errado. Se esforçou, mas no DVD ao vivo no Barbican em Londres, é nítido o desentrosamento e o desconforto. A própria voz não lembrava em nada Rita, precisava de uma backing vocal para dar conta do recado. O público sempre quis Rita, mas ela com sabedoria e talvez um pouco de teimosia, ridicularizou a volta dos irmãos Dias-Babtista.

O futuro álbum dos Mutantes é uma incógnita. Na entrevista para o UOL, Serginho diz que a banda está bem entrosada e que ele e Dinho Leme estão empolgados na composição das novas músicas. Inclusive uma marca registrada dos Mutantes, a guitarra de ouro do professor “Pardal”, dos Mutantes, foi revitalizada para a edição “2000” da banda. Na nova página da banda até uma seção completa foi destinada para divulgar a imagem da nova máquina musical de Sérgio Dias.

 

Inocentes já esteve em SC sim

março 31, 2008

A novidade nesta nota já está na manchete. A banda Inocentes, que estará no Curupira Rock Club em maio, já tocou em Santa Catarina. A informação é do grande Eric, vocalista e guitarrista da banda Insiders de Balneário Camboriú.

Rafael,
Eles já tocaram em SC sim. Eu fui num show deles em Laguna em 87 ou 88. Era a tour do “Pânico em SP” (acho que era esse o nome do disco). Foi animal, mas o público nunca tinha ouvido falar dos caras, e não moveram um músculo o show inteiro.


Falow

Eric

Inocentes tocam pela primeira vez em SC

março 27, 2008

inocentes.jpg 

Será no Curupira Rock Club e no mês de maio, mas o certo é que a banda Inocentes virá pela primeira vez a SC para um show. As informações são do Kelson, um dos organizadores de róque lá no Curupira, em Guaramirim.

O show será num sábado, 17 de maio, com ingressos limitados e R$ 20,00

Em tantos anos, é incrível que o Inocentes nunca tocou em Santa Catarina, vergonhoso no meu ponto de vista, mas nada que o pessoal do Curupira faça bem feito. A festa fará parte das comemorações dos 16 anos do mitológico point rock catarinense.

Outras informações:

http://www.fotolog.com/curupira_rock

Os Pistoleiros: a capa e o personagem

março 27, 2008

 pistoleiros.jpg

Tremendo cochilo meu com o alerta do sempre ilustre (ele é mesmo), jornalista e músico Dubes Sonêgo, de Blumenau, mas que hoje mora no Canadá. O meu principal cochilo foi com relação ao próprio Dubes, que durante quase três anos fez parte dos Pistoleiros e inclusive é artista da capa do disco (foi mal Dubes). Segundo que aproveitando o e-mail que Dubes me enviou hoje, temos a história dessa arte da capa.

Reproduzo aqui o e-mail do Dubes:

Cara, eu não sou ilustre, mas também toquei nos pistoleiros. hehehe Foi na cozinha da minha casa, em Floripa, que ensaiamos por uns dois ou três anos. É bem verdade que foi o período de formação mais capenga, com os shows mais vexaminosos. Mas, de qualquer forma, durou por um bom tempo e foi o período em que foram compostas algumas das músicas do disco. A capa, inclusive, é arte minha. Fiz ela a partir de uma foto que encontrei em um disco antigo, de uma coleção que hoje deve estar na casa do Marco Túlio malaco. Era uma coleção de discos com músicas tradicionais do interior de Minas Gerais. O pistoleiro da capa, inclusive, vim a saber depois, é um dos personagens principais de Grande Sertões Veredas, do Guimarães Rosa. Mostrei o disco pra um amigo jornalista mineiro, o Silvio Ribas, que me disse: “mas rapáz, o que que o Tonhão (ou algo assim) tá fazendo na capa do disco de vocês?”. Aí eu quis saber quem era a figura e a resposta dele bateu com a origem da imagem. Para ter certeza, mesmo, só achando o disco. De qualquer forma, achei que tu ias gostar da história.  Abs, Dubes!

Aproveitando aqui que o Dubes veio prestar esclarecimentos devidos, e já dando um puxão de orelha no sr. Diógenes e convidando o sr. André, tá na hora de falarmos aqui no Mundo47 deste grande disco e colocar ele inteiro pra download.
 

Autoramas e Matanza tocam em festa do MySpace Brasil

março 26, 2008

posterss02small.jpg

Nesta quinta-feira (27) no Circo Voador (Rio de Janeiro), o MySpace Brasil estará fazendo a segunda edição de seu Secret Show. A apresentação para os cariocas será gratuita. As duas bandas são grandes destaques no independente nacional e estarão tocando em Santa Catarina no mês de abril. Dia 04 de abril o Matanza tocará em Blumenau, na festa da Barba Ruiva Produções. Já o Autoramas está confirmadíssimo para o MUNDO47 FESTIVAL, que será realizado no próximo dia 20 de abril no JB Pub de Balneário Camboriú. Duas grandes bandas em duas grandes festas róque em SC. Já o show do Rio, amanhã, o MySpace libera a entrada para os primeiros 600 malacos. Se tais no RJ, chegue cedo e não perca a fextênha.

Lenda do rock SC, SenhorF se rende aos Pistoleiros

março 26, 2008

pistoleiros.jpg

Não é a toa que o site Senhor F é um dos mais respeitados no país no quesito róque. Fernando Rosa e Cia, são verdadeiros “Indiana Jones” da história do róque nacional, sulamericano e regional. No “Senhor Achado” desta semana ele destaca o primeiro e único EP da histórica banda catarinense Os Pistoleiros, formada no final dos anos 90 por Diógenes Fischer (Superbug) e o seu comparsa lageano André Göcks. Além deles, Marco Túlio, Daniel e Rodrigo também participaram da banda. Outros membros ilustres também passaram pelos Pistoleiros. Ramiro Pissetti (Os Incríveis Animais que Tocam) e Léo Laps.

Leia a matéria sobre Os Pistoleiros

Escute no Trama Virtual

All Star lança tênis com letras de Kurt Cobain

março 19, 2008

kurtenis.jpg 

Grunge até os pés. A empresa norte-americana Converse, que fabrica os tênis All Star, está lançando no mercado um modelo de tênis que homenageia o falecido líder do Nirvana, Kurt Cobain. Segundo consta matéria do Globo.com, a viúva de Cobain, Courtney Love, aprovou o modelo lançado pela Converse e diferentemente de outra empresa de calçados que usou a imagem do músico num comercial mostrando ele sentado nas nuvens com o tal calçado, a All Star lança um modelo com várias letras e desenhos de Kurt. O modelo custará entre US$ 50 e US$ 65. Não há previsão de lançamento no Brasil.

Alguns modelos estão no site: www.nirvanaclub.com

Efeito Radiohead: REM apresentará novo álbum na web

março 14, 2008

rem.jpg

De uma forma ou de outra, os artistas do mainstream vão se adequando ao que o Radiohead fez em 2007. Desta vez a coisa será um pouco diferente, mas quase com o mesmo propósito. O REM estará disponibilizando o novo álbum, Accelerate, primeiramente para os fãs usuários do MySpace e do Facebook. Esses fãs poderão fazer download das músicas e se quiserem, estão autorizados a distribuir as músicas para outras pessoas, resumindo, todo mundo que conseguir baixar o disco, poderá socializar com os amigos, ou seja, na web o disco vai rolar “digrátis” pro povo. A bolachinha do REM tem data prevista para lançamento no dia 1º de abril, uma mentira muito bem contada.

Iron Maiden em Curitiba – 04/03/2008

março 7, 2008

 foto-1.jpg  

Bruce comandando a nação de fãs do Maiden no Paraná

Nosso colaborador para assuntos de heavy metal, Klaus Peter Loos, esteve em Curitiba na última terça-feira para o show do Iron Maiden. Confira o relato da testemunha da passagem dos passageiros do Iron Maiden Force One por Curitiba. As fotos são de Makila Crowley.

Fantástico, maravilhoso, fenomenal, incrível, etc, etc…, qualquer adjetivo pode ser usado, sem modéstia, para o que aconteceu em Curitiba na terça feira 04/03/08! 

A expectativa pelo show da donzela era enorme, pois a turnê nada mais era do que uma volta ao passado, uma volta ao mítico tempo de Powerslave, que entre 1984/85 se transformou no maior show da Terra, produzindo o melhor disco ao vivo da história, o fenomenal “Live after death”, retirado da famosa turnê World Slavery Tour!! 

Foi como entrar no túnel do tempo em grande celebração, como poderíamos dizer, pois a devoção do público, cerca de 25 mil pessoas, era tamanha,  que todos pareciam estar dentro de um culto, um culto ao mais poderoso heavy metal já produzido, já que para mim, metal é uma religião, que não te cobra nada, só te traz felicidade! O local do show totalmente espetacular, a pedreira Paulo Leminski é um lugar fantástico, a acústica é excelente e toda a infra-estrutura para um espetáculo desse porte foi muito bem distribuída. 

Uma fila de 2 km, que quase dava a volta no parque, mostrava o tamanho do que viria a seguir, pois até o céu, completamente estrelado dava ares poéticos e épicos ao show! Bem, todos na expectativa, e pontualmente às 20 horas, Lauren Harris, a filha do baixista Steve Harris, do Iron Maiden, subiu ao palco para abrir os trabalhos. Seu som é diferente, numa mescla de hard rock com um vocal mais pop. A banda tocou por mais ou menos 25 minutos, ela não empolgou, pois tocar antes da Donzela não é mole, a ansiedade era demais! 

Com pontualidade britânica como deve ser, às 21 horas, as luzes se apagaram e a música “Doctor Doctor” da banda Ufo começou a tocar nos PAs, era a deixa para o telão mostrar o avião próprio da turnê, o Eddie Force nº1,  pousando no aeroporto, daí, foi a catarse, Winston Churchill, narrava a intro, e “Aces High” entrava alta e clara nos nossos ouvidos, o palco se iluminava e podíamos ver um templo egípcio maravilhoso, com detalhes mil, e podemos voltar ao primeiro Rock in Rio, onde com esse mesmo palco, o Maiden tocou para 300 mil pessoas, o recorde da banda. 

A banda é fantástica, Bruce Dickinson estava a mil, sua voz estava vigorosa como sempre, pulando de um lado para o outro levantando o público! Steve Harris, o melhor baixista do mundo, bangueava freneticamente sentindo toda a resposta do público e o que falar dos guitarristas Adrian Smith, Dave Murray e Janick Gers? Perfeitos, virtuosos, pesados, carismáticos, enfim, poderosos! E o batera Nicko Mcbrain? Esse é de uma precisão milimétrica, além de ser uma figura muito engraçada!

iron-2.jpg  

Mar de camisas pretas invadiu a Pedreira Paulo Leminski 

A seguir, veio “Two Minutes to Midnight”, com seu riff de guitarra cortante e seu refrão em que todos cantaram vigorosamente!! “Revelations”, do álbum “Piece of Mind” entrou super pesada, mostrando o poder de se ter três guitarras ao mesmo tempo.  As imagens do fundo do palco mudavam constantemente, e quando Bruce colocou uma jaqueta vermelha de guerra para chamar “The Trooper”,  desfraldou a bandeira britânica!

A seguir, um dos momentos mais emocionantes da noite quando “Wasted Years”  começou, notava-se a emoção dos músicos, pois essa música fala especialmente da vida na estrada, e ela é fantástica, com destaque para Adrian Smith, que solou com muito feeling!Uma voz grave começa a ser entoada, era a entrada triunfante de “The Number Of The Beast”, com destaque para Murray com suas caras e bocas durante os solos! 

A primeira faixa de “Seventh Son” foi “Can I play with madness”, extremamente bem recebida pela galera, e até aí, o show já era histórico, mas se tornaria ainda maior com a próxima música, a fenomenal “Rime of the Ancient Mariner” do “Powerslave”.  Bruce Dickinson apareceu no fundo do palco com uma capa preta, sempre interpretando as letras, frente a um pano de fundo específico para “Rime…”, que fez do palco um navio.

Este épico de 13 minutos, com uma das melhores letras, muitas variações e algumas das linhas instrumentais mais memoráveis da banda, fizeram todos acompanharem com celulares e isqueiros a parte lenta da música. A musica “Powerslave”, minha preferida, trouxe um Bruce mascarado ao palco, exatamente como fez há 23 anos, nela, a letra é totalmente uma aula de história, falando a respeito da saga dos faraós que viveriam eternamente após a morte, suas dúvidas e angústias, e o que falar do solo duelado das guitarras?

Um espetáculo à parte!! Nessa hora, nós, que éramos sortudos de ver a banda ao vivo,  podemos acompanhar outros mais sortudos ainda. Eram roadies e pessoas premiadas em promoções de rádios que subiram ao palco para, junto à banda, fazer o tradicional coro ÔÔÔ… ÔÔÔ… em “Heaven Can Wait”. Daí, veio “Run To The Hills”, com seu riff galopante, foi cantada tão alto pelo público que pouco se conseguiu ouvir da voz de Dickinson, mesmo estando em frente ao palco. Como uma espécie de bônus, já que essa música não faz parte da temática dessa turnê, veio “Fear of the Dark”, que todo mundo cantou junto! Chegando a hora de terminar o set, veio a única música da fase do primeiro vocalista Paul Dianno, a clássica “Iron Maiden”, que geralmente fecha o espetáculo. Então, era hora do monstro, o mascote Eddie, brincar. Eddie entrou no palco, para delírio da multidão, com a mesma roupagem da turnê do“Somewhere In Time“, com sua forma ‘cyborg’ e com sua arma laser ele brincava com Dave Murray e Janick Gers , deixando todos maravilhados!Fim do primeiro ato.

Depois de uma breve pausa, com o fundo do palco trocado por um Eddie mais misterioso, surgiram os lampejos de um violão na intro de “Moonchild”, e depois mais uma do “Seventh Soon”, “The Clarvoyant”, que tem um refrão dos mais contagiantes! Por fim, veio a mega clássica “Hallowed Be Thy Name” que dispensa apresentações,  encerrando de maneira espetacular uma noite inesquecível. Depois de 23 anos da turnê que trouxe o Iron ao primeiro Rock in Rio, é visível que a banda só melhorou, amadureceu e, com o passar dos anos, cresceu a olhos vistos.

Era o fim de um sonho, a expectativa foi totalmente superada e vai ficar na memória de todos os que estiveram presentes, até o fim de suas vidas.  O dia 4 de março marcou história de Curitiba. Para os antigos fãs, foi possível relembrar os melhores momentos da Donzela em versões até melhores do que as de antigamente, enquanto os novos puderam saber qual é o peso do Iron Maiden num palco. Simplesmente histórico.

Assistir a um show do Maiden é uma experiência pela qual toda pessoa que gosta de rock deveria passar um dia, sem exageros. Só que isso é algo que talvez apenas quem já viu e vivenciou sabe bem o que é.  E quem perdeu? Pois é, perdeu…E para encerrar, uma frase do Rei Roberto Carlos, que cabe direitinho aqui, “se chorei ou se sofri, o importante é que emoções eu vivi”!! Obrigado Iron Maiden. UP THE IRONS !!

“Judas” inicia hoje suas apresentações no Brasil

março 5, 2008

O maior compositor de todos os tempos, Robert Zimmerman (Bob Dylan), inicia hoje sua turnê no Brasil com shows em São Paulo e Rio de Janeiro. Em São Paulo, Dylan será assistido por gente da alta sociedade, gente que rapou economias para vê-lo, celebridades sem noção que vão beber uísque e comer canapés de graça, jornalistas que não conhecem se quer uma música dele, mas o fato que ele está para mais uma turnê noBrasil. Pela sua idade, 65 anos, muita gente acha que pode ser a última, sei lá. Eu ainda rezo para que o pedido de São Suplicy seja atendido pela Prefeitura de São Paulo e por empresários paulistas.

Contracapa no CD do Nazareth

março 4, 2008

Hoje o jornalista Marcos Espíndola ficou surpreso ao ver uma foto da mítica banda britânica Nazareth, com fotos de divulgação e da capa do próximo disco The Newz, onde o vocalista aparece com o caderno de Variedades do Diário Catarinense e claro, aparecendo a sua coluna Contracapa. Confira as fotos dos tiozinhos do Nazareth vendo sua “clipagem”, quando vieram tocar em SC.

nazareth01.jpg

Será que eles tão acharam alguma foto do Mutley?

nazareth02.jpg

Capa agora vai rodar o Mundo e a vitrola do povo róque

Processo contra integrantes do U2 tem julgamento nesta quinta

fevereiro 27, 2008

banda_103b.jpg 

Muitos boatos, muita falação, mas o fato que nesta quinta-feira (28), acontecerá no Fórum de Balneário Camboriú a partir das 16h30, na 3a Vara Cível, a audiência que poderá definir se o empresário carioca Franco Bruni, promotor dos show do U2 em 1998, sairá vencedor das ações indenizatórias contra a banda, o jornal O Globo, que publicou as declarações de Larry Mullen e Bono Vox e do jornalista Mário Marques, autor da reportagem.

A coisa toda rola em Balneário Camboriú, quintal do Mundo47 e eu fui atrás dos personagens desta ação. De todas as formas,  tentamos conversar com o autor da ação, o empresário Franco Bruni, porém obtivemos informações somente através do advogado João Batista Gadotti, um dos defensores da causa de Bruni que afirmou categóricamente que seu cliente não falaria à imprensa sobre a ação. Gadotti ainda disse que o processo corre em segredo de justiça e que nenhuma outra informação poderia falar. Mas ele confirmou a audiência nesta quinta-feira e disse que seu cliente também espera vencer a ação contra o jornal O Globo e o jornalista Mário Marques. “Vamos esperar o posicionamento do judiciário sobre a ação do meu cliente”, disse.

Desde segunda-feira tentamos também contato com a parte acusada. Os advogados de Bono e de Mullen não responderam nenhum dos contatos. Nesta tarde porém, entramos em contato com a assessoria da juíza Dayse Herget de Oliveira Marinho, que confirmou a audiência para às 16h30, porém o assessor negou que a ação esteja em segredo de justiça por inteiro. “Haviam muitas pessoas atrás do processo no fórum, a juíza apenas proibiu que ele fosse distribuído para outros advogados e para a imprensa”, disse o assessor. Antes da audiência, a juíza Dayse irá avaliar se poderá acontecer algum tumulto antes da audiência, principalmente se vierem muitos curiosos ou até mesmo a imprensa.

O Mundo47 certamente estará presente neste acontecimento jurídico-musical que está em nosso quintal. Não sei realmente a reação da banda, pois caso Bruni ganhe, a indenização está estipulada em R$ 40 milhõs. Transformando isso em dólares, a indenização fará pequenas cócegas nas contas de Bono e Larry Mullen. Vamos esperar para ver.

George Harrison: 65 anos

fevereiro 25, 2008

george.jpg 

Se estivesse vivo hoje, o ex-beatle George Harrison estaria completando 65 anos de idade. Falecido em 2001, em decorrência de um câncer que se espalhou pelo corpo, Harrison ganhou notoriedade com os Beatles, ao ser o quiet beatle (beatle quieto). Com o tempo, na banda, o músico teve que se deparar com os egos enormes de John e Paul, conseguindo êxito na carreira como músico apenas no Abbey Road, onde Paul sucumbiu ao talento de George, lançando Something como single. Mas ai já era tarde. Os Beatles acabaram logo em seguida.

Harrison teve sua forra no álbum triplo All Things Must Passa – um dos melhores da carreira solo de um beatle. A partir dai, sua obra como artista solo teve êxitos menores, porém Harrison sempre manteve o bom humor e a consistência. Depois de alguns fracassos na década de 80, como produtor de cinema, ele voltou com tudo com os álbuns Cloud Nine e os discos do Traveling Wilburs (projeto com Dylan, Roy Orbison, Jeff Lynne e Tom Petty).

Nos anos 90, com a febre beatle voltando, Harrison pouco fez no seu trabalho solo. A doença começou a acabar de vez com sua vontade. Em 2001, um pouco antes de sua morte, ele teve ainda o esforço de deixar o testamento com o belíssimo Brainwashed, lançado um ano depois, póstumamente.

No último sábado, lembrando de George, eu estava na casa dos meus pais (lá tem home-theater com TV de plasma) onde passei a tarde inteira assistindo ao emocionante Concert For George. Do início ao fim. A bonita homenagem do amigo Eric Clapton para a vida e a obra de George. Na minha opinião, o mundo sem George é um pouco mais sem graça. Vida longa ao mito, eternidade para a alma, viva George Harrison!

Resenha: Deep Purple em Curitiba: 23/02/2008

fevereiro 25, 2008

DEEP PURPLE, A LENDA VIVA

foto-deep-purple-006.jpg

Vitalidade: Sessentões do Purple continuam agitando platéias pelo mundo

Por Klaus Peter Loos*

Deep Purple, uma lenda viva no Hard Rock, esteve em Curitiba/PR, no sábado (23/02), apresentando um show, parte da turnê comemorativa dos 40 anos da banda,  na casa noturna Hellooch.Muita chuva na capital paranaense, mas para o pessoal do rock, isso não é motivo para ficar em casa, ou seja, casa praticamente lotada!Quem abriu o espetáculo foi a banda paulista Shaman, que depois da saída de três integrantes, conta apenas com o baterista Ricardo Confessori como membro original. A banda precisou fazer um set bem curto, pois a grande atração já estava na espera, assim como grande público.

Às 22:40 horas, para o delírio da galera, o Deep Purple entrou com tudo, mandando “Pictures of Home”, emendando “Things I Never Said”. Foi possível constatar, ao vivo, como esses músicos são espetaculares, Steve Morse, substituto à altura de Ritchie Blackmore, deu um show à parte entre as musicas, mostrando toda sua versatilidade, solando e tocando riffs conhecidos como “Iron Man” (Black Sabbath) e “Sweet Child on Mine” (Guns).

foto-deep-purple-001.jpg

Formado em 1968, a banda completa 40 anos de estrada e muito rock

Ian Gillan ainda está em plena forma, apesar de todos sabermos que sua voz já não agüenta um tranco direto, precisando de algumas pausas entra as músicas, mas nada que desabonasse o espetáculo. Don Ayrey, o virtuoso tecladista, em seu solo, também tocou trechos de músicas como o do filme Super Man e Guerra nas estrelas, muito interessante. Durante todo o tempo, a banda desfilou sons mais recentes como do álbum “Bannanas” e “Rapture of the Deep”, entrando em clássicos como “Lazy”, “Strange Kind of Woman”, “Space Trucking” e “Highway Star”.

Ian Pace solou sua bateria como um jovem iniciante, com grande disposição e técnica, levando todos a pular e, na seqüência, o momento mais efusivo do show, “Perfect Strangers”, cantado por todos os presentes a plenos pulmões. Após isso, a banda emendou seu maior clássico, o riff de guitarra mais conhecido do mundo, “Smoke on the Water”, fantástico!Pausa para o bis, o Deep Purple voltou para tocar mais dois clássicos, “Rush” e “Black Night”. Ótimo show, um pouco curto mas, com certeza, deixou um gostinho de quero mais.

Set-list:
Pictures Of Home
Things I Never Said
Into The Fire
Strange Kind Women
Rapture Of The Deep
Mary Long
Kiss Tomorrow Goodbye
Well Dressed
The Battle Rages On
Lazy
Keyboard Solo
Perfect Strangers
Space Trucking
Highway Star
Smoke On The Water
Hush
Black Night

FOTOS: WWW.MAKILACROWLEY.COM.BR 

*Klaus Peter Loos foi correspondente exclusivo do Mundo47 no show do Deep Purple em Curitiba. O homem é um profundo estudioso do heavy metal e segundo consta, tem uma das maiores coleções do gênero na sua casa. Sua contribuição é extremamente bem vinda aqui no Mundo47.   

Ex-metaleiros do Metallica em versão soft light fofinha

fevereiro 20, 2008

metallica.jpg

Há muito tempo que o Metallica não é mais metal, mas para os fãs, sempre rola um sentimento com a banda que se eternizou no rock com o famoso Black Album de 1991. Depois em 1996, o Metallica foi acusado de se vender para o pop com o excelente álbum Load. No final dos anos 90, a banda fez firula ao processar o Napster, primórdios da troca de mp3 pela net. Agora o Metallica ataca com um álbum que está sendo vendido pela internet (que ironia do destino). Bridge School Benefit, show beneficente que dá nome ao álbum, é uma apresentação intimista da banda, que extremamente à vontade, faz releituras acústicas de seus sucessos e ainda arrisca covers de bandas impensáveis para metaleiros. James Hetfield canta músicas de Garbage, Nazareth, Dire Straits e até o cantor folk Bob Seger. Com esse trabalho, bom para os padrões do pop, os fãs ortodoxos do Metallica vão provávelmente cortar os cabelos e usar óculos a lá Bono Vox. Esperem para ver…

Projeto Tremendão tem pontapé inicial na web

fevereiro 13, 2008

erasmo.jpg

Na linha dos tributos aos grandes artistas que foram importantes para o róque nacional, não podia faltar de jeito nenhum, a agradável figura de Erasmo Carlos, o eterno e injustiçado parceiro do Roberto Carlos (hoje um chato).  Os figuras Pablo Peixoto e Guto Almeida (Monokini), da terra da garoa, organizaram a empreitada em 2007 e agregaram bandas de diversos estados brasileiros para a participação no tributo. Depois de longos meses de espera, Pablo iniciou nesta semana a postagem do tributo no blog oficial, onde você internauta poderá baixar gratuitamente as faixas gravadas pelos artistas do róque, que toparam homenagear o Tremendão.

Santa Catarina não ficou sozinha nessa e duas bandas estão nos representando na parada. A primeira é a joinvilense da Reino Fungi e a segunda é a banda (eu toco nessa, aha!) Betão e Os Pernas Mecânica. Bom, mas no tributo a moçada do Betão e Os Pernas Mecânica teve que trocar de nome. Os organizadores, com receio que Erasmo e o seu amigo Roberto não gostassem do trocadilho com a perna de RC, pediram gentilmente para que mudássemos o nome do combo. Portanto, para isso, exclusivamente, foi criado The Erasmo Carlos Project.

Hoje a música gravada pelo The Erasmo Carlos Project, É Preciso dar Um Jeito Meu Amigo, gravado por Erasmo em 1972 para o disco obscuro Carlos,Erasmo, entrou na programação do blog para download. A banda é formada por integrantes de outras bandas de róque da região 47. Na guitarra e vocais, Rafael Weiss (ex-The Colors e atual Lumiere), Leonardo Batata (Souvenirs e mais uma porrada de banda), Sergey Ramirez Schütz (ex-Os Costeletas) e o maluco drummer Tschesco (Rockpictureshow e 6me6).  A faixa gravada para o tributo, foi registrada em julho de 2007 no Giant Steps Studios, do Ruan, em Balneário Camboriú. A banda procurou fazer uma versão mais animada da música do Tremendão e o resultado ficou muito bom.

CONHEÇÃ O PROJETO TREMENDÃO

http://projetotremendao.blogspot.com/

Comunidade Orkut

http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=31425815


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.